Coelho em molho pardo

 
Para muitas pessoas quendo se diz cabidela associam sempre a arroz de frango com sangue, é certo que foi o que mais prevaleceu embora existam outras cabidelas…
Numa ementa de 1972 foi servida ao chefe de Estado o contra - Almirante Américo de Deus Rodrigues Thomaz durante numa visita ao Porto, galinha de cabidela, ora esta receita não era arroz de cabidela mas sim a galinha estufada terminada com o sangue da ave e acompanhada com tostas e arroz branco.
Com o coelho é exactamente igual e aqui deixo esta receita de uma carne, que vá se lá saber porque, caiu em desuso nas grandes cidades apesar de todos os nutricionistas dizerem ser uma óptima carne branca excelente para consumo no quotidiano por ser saudável.
Nos banquetes oficias não se usam nem coelho nem galinha um porque pode parecer piada outro porque não é chique o suficiente mesmo com tantos cortes nunca vi em tantos banquetes que servi galinha nem frango! Mas que nos cortam as asas …lá isso cortam
 
Ingredientes:
1 coelho cortado em pedaços
1 dl de azeite
1 dl de vinho tinto
200 g de cebola
2 dentes de alho
1 folha de louro
2 cravinhos
Vinagre de vinho tinto
Sangue de coelho
Miúdos do coelho
 
Confeção:
Tempere de sal, pimenta, alho esmagado, louro, cravinhos, vinho tinto e deixe marinar por duas horas.
Leve ao lume o azeite ao lume com a cebola em meias luas, deixe alourar, acrescente o coelho bem escorrido e seco deixe alourar, verta a marinada, deixe cozinhar durante 45 minutos.
Retire o coelho, coe o molho leve de novo ao lume e verta o sangue do coelho, deixe levantar fervura e junte o coelho, sirva com tostas e arroz branco.