Contas inativas

Sabia que se deixar de movimentar uma conta, mesmo que a julgue encerrada, alguns bancos cobram comissões que podem atingir os 52 euros por trimestre, dependendo do banco? Conheça os seus direitos e evite situações desagradáveis.
Ao longo da vida, um cliente vai abrindo contas junto de vários bancos, umas vezes por opção, outras por imposições profissionais. Mas, com o passar dos anos, algumas deixam de ser utilizadas e ficam “esquecidas”, apesar de até terem saldo positivo. É o que acontece quando, por exemplo, em determinado momento, um familiar abre conta em seu nome, da qual ninguém mais se lembra. Ou ainda situações em que os pais criam contas em nome dos filhos quando nascem e, depois, todos lhe perdem o rasto.
Com a generalidade das instituições bancárias a cobrarem despesas de manutenção, são crescentes os casos de clientes surpreendidos com cartas dos bancos a exigir o pagamento de comissões de manutenção de contas que se encontravam esquecidas. Se, até há uns anos, quando o cliente deixava de movimentar uma conta ou a mantinha por um longo período de tempo sem saldo (geralmente superior a um ano), o banco encerrava-a por sua iniciativa, nos últimos tempos tal já não acontece. A grande maioria opta por manter as contas abertas, aproveitando para cobrar comissões de manutenção enquanto existir saldo positivo, alertando apenas o cliente quando passa para valores negativos. Quando os clientes se dirigem à instituição para encerrar a conta, é-lhes geralmente exigida a regularização do saldo. É assim muito importante que os consumidores se certifiquem de que as contas que já não usam se encontrem encerradas.
Como saber se existem, nos bancos, contas em seu nome?
Os clientes têm duas formas de descobrir as contas em seu nome. Podem perguntar diretamente a cada banco ou solicitar ao Banco de Portugal a consulta da base de dados de contas bancárias. No site não há forma de obter a informação, por isso, o consumidor é obrigado a dirigir-se a um posto de atendimento do Banco de Portugal para fazer o pedido. O problema é que só há 10 agências do BdP no País! Um cliente de Bragança, por exemplo, terá de se deslocar a Viseu ou ao Porto. O processo deveria ser simplificado.
O falecimento de um familiar é o único caso em que o Banco de Portugal disponibiliza um serviço de localização de contas através da Internet. Através do preenchimento do formulário existente no Portal do Cliente Bancário, o cabeça de casal da herança solicita a informação sobre os valores depositados nas instituições financeiras sediadas no País.
 
Gabinete de Novas Iniciativas DECO
Para apoio em questões de consumo ou de sobre-endividamento dirija-se à DECO ou ao Gabinete de Apoio ao Consumidor da autarquia do seu concelho de residência (Alfândega da Fé, Carrazeda de Ansiães, Macedo de Cavaleiros, Mirandela ou Vila Flor). Estas autarquias Câmara Municipal de têm um protocolo de colaboração com a DECO.