Creio no amor contemplativo de Jesus

Creio no amor contemplativo de Jesus, que vive em íntima, profunda comunhão com o Pai, que passa noites inteiras em oração e em diálogo com Ele, que  O vê e descobre em tudo e em todos.
Creio no amor contemplativo de Jesus, que fica encantado e extasiado com o pôr-do-sol bonito e avermelhado, com os figos maduros, com a lâmpada colocada sobre o alqueire, com o fermento misturado a levedar a massa.
Creio no amor contemplativo de Jesus, que se enternece com o rosto belo das crianças, que sente afeição pelo jovem rico, que admira o amor do Pai nas Escrituras Santas e nos feitos do Povo no Antigo Testamento.
Creio no amor contemplativo de Jesus, que encontra o amor do Pai na beleza da água que jorra para a vida eterna, no encanto da videira cheia de cachos de uvas, no vinho novo das bodas de Caná.
Creio no amor contemplativo de Jesus, que Se enternece e chora com a morte de Lázaro e as lágrimas de suas irmãs, Marta e Maria, que chora sobre a cidade de Jerusalém profetizando, com paixão e dor, a sua destruição.
Creio no amor contemplativo de Jesus, que acolhe a miséria humana, cura doentes, consola tristes, liberta oprimidos, dá vista a cegos, manda em liberdade os cativos do pecado e do maligno.
Creio no amor contemplativo de Jesus, que O faz ficar compadecido com a viúva de Naim que vai a enterrar o seu filho único, que Se comove ao ver que querem matar à pedrada a mulher apanhada em adultério e seu Coração age em misericórdia.
Creio no amor contemplativo de Jesus, que olha com encanto a pobre que vai deitar no tesouro uma migalha mas a elogia porque conhece o seu coração, que sabe a hipocrisia dos túmulos caiados por fora, mas dentro cheios de podridão.
Creio no amor contemplativo de Jesus, que Se assume como Cordeiro para resgatar o pecado do mundo, que carrega as nossas culpas para nos defender do mal e do maligno, que é todo Ele misericórdia que cura e que salva.
Creio no amor contemplativo de Jesus, que vê em seu próprio Coração um fogo abrasador e deseja que esse fogo incendeie outros corações e seja o fogo do coração do mundo, para queimar impurezas e suscitar o amor.
Creio no amor contemplativo de Jesus e suplico-Lhe que me faça como Ele, ao jeito d’Ele, que seja um homem e um padre de coração e de alma boa e contemplativa para O descobrir em todos e O amar sempre e sem medida.