CREIO que o PECADO existe e é NEGAÇÃO DO AMOR

Creio que o pecado existe e é negação do amor trinitário, traição ao amor uno e trino, falta de correspondência ao amor louco e apaixonado da Santíssima Trindade por cada homem e cada mulher.
Creio que o pecado existe e é infidelidade à aliança que Deus Pai fez connosco, como filhos muito amados, em quem coloca todo o seu amor e de quem espera correspondência em generosa fidelidade, em entrega total.
Creio que o pecado existe e é traição a Jesus que nos amou e Se entregou por nós, que foi à cruz e à morte como prova máxima de amor e não encontra correspondência e fidelidade amorosa da nossa parte.
Creio que o pecado existe e é atentado ao Espírito Santo que habita o sacrário do nosso interior, a catedral do nosso ser, e fica contristado, entristecido com a nossa infidelidade, com a profanação do santuário onde habita.
Creio que o pecado existe e é negação do amor e da fidelidade que devíamos ter à nossa Mãe, a Santa Madre Igreja, atentado contra o Corpo Místico de Jesus, que não ajuda a crescer em santidade e em vida divina.
Creio que o pecado existe e é negação do amor à Humanidade de que cada um de nós faz parte, negação do amor à família humana, que por isso gera ódios, rancores, guerras, falta de liberdade e de amor, semeia destruição e morte, fome e tristeza.
Creio que o pecado existe e é atentado contra nós próprios, contra mim mesmo, aviltando-me, não me deixando viver à imagem de Deus, não me deixando ser mais santo e mais feliz, degradando o meu ser e a minha santidade.
Creio que o pecado existe e é realidade assustadora que gera tanto mal, tanta injustiça, tanta falta de amor, que semeia tanto ciúme, tanta avareza, tanto egoísmo, que destrói a vida e a felicidade, que gera violência, contenda e desunião.
Creio que o pecado existe e leva à exploração de crianças inocentes, ao desprezo e humilhação dos idosos, ao comércio de seres humanos, atirando-os para a ruína, a degradação, o pecado que gera mais pecado e mais infelicidade.
Creio que o pecado existe e vai corroendo a humanidade, criada pelo amor trinitário, e manifesta-se em sacrilégios, blasfémias, profanações a Deus, ao homem, a Jesus no Santíssimo Sacramento, à Virgem Maria, Mãe e Rainha.