De quando em vez

Missões de interesse público da Força Aérea Portuguesa
 
Asas de Portugal! As caravelas
Dos espaços astrais
Asas de Portugal! – a liberdade
Do amor á Pátria e sua integridade
 
António Maria Cardoso
 
Com 33 anos de existência e mais de 2500 vidas salvas, a Esquadra 751 (Pumas) é composta por uma centena de militares, estando sedeada na Base Aérea do Montijo.
Esta Esquadra, tem como missão principal a busca e salvamento e, como também secundária executar operações de evacuação sanitária e transporte aéreo geral. Dispõe para as suas missões dos helicópteros EH-101 Merlin cujas características são: Autonomia máxima 6:05 minutos.
Alcance 1390 milhas.
Passageiros 30.
Os militares da Força Aérea Portuguesa contam com o helicóptero acima caracterizado, com o objectivo de cumprir uma das missões mais nobres da Força Aérea: A Busca e Salvamento. A instituição esta equipada com o que de melhor existe a nível mundial, pois, permite ir bastante longe com muita segurança, devido á redundância dos seus equipamentos.
A Força Aérea Portuguesa tem 12 helicópteros EH-101 Merlin em três variantes diferentes para três tipos de missões distintas.
Destes 12 helicópteros, 6 estão na busca e salvamento, outros 2 estão destinados á Fiscalização das Pescas sendo os restantes 4 utilizados também na Busca e Salvamento e Combate.
Sob a responsabilidade de Portugal, está sensivelmente um terço do Atlântico Norte, o que faz de nós o País Europeu com uma Maior Área de responsabilidade em torno da Busca e Salvamento, e apesar do helicóptero EH-101 Merlin ser o com maior alcance no Mundo, nem mesmo assim, consegue dar cobertura total ao espaço marítimo que está sob a égide Portuguesa, acabando por ser os meios Aéreos de asa fixa (aviões) a prestarem um precioso auxilio.
Ainda dentro deste contexto, aparece como ponto mediático a Base Área das Lajes, que ao longo dos tempos esteve sempre na defesa da civilização Ocidental, aparecendo sempre que necessário nos momentos mais difíceis como tem acontecido ultimamente.
É, extremamente penoso, verificar-se, que a hipótese da manutenção da Base Aérea das Lajes como um suporte activo para a luta agora tão presente do terrorismo Jeadista não irá acontecer pois segundo as últimas informações todo o dispositivo necessário a este objectivo será instalado na Base Aérea de Craughten no Reino Unido. Também para alem do que já referimos, a Base Aérea das Lajes poderia servir para o treino Ar-Ar dos pilotos Americanos em diferentes situações de novas tecnologias, como é o caso do avião de caça Raptor, em finais de utilização efectiva.
Finalmente, e apesar de todos os esforços do Governo Português, do Governo Regional, da Câmara de Comercio de Angra do Heroísmo, e das Câmaras municipais da Ilha Terceira, continua a redução dos efectivos militares e civis das Lajes com repercussões económicas e sociais difíceis de quantificar e que estão a detiorar diariamente o modus vivendi da Ilha aumentando ainda mais a taxa de desemprego