É necessário um Aeroporto Regional em Trás-os-Montes

Desde o início dos anos 60, defendemos a necessidade dum Aeroporto Regional em Trás-os-Montes, que também, poderia servir de “Alternante ao Sá Carneiro da cidade do Porto”.
É uma constante, que o Aeroporto acima referido, está dia após dia a manter uma operacionalidade fruto duma excelência de serviços realçada não só, a nível nacional, mas também, a nível europeu.
É uma característica da região do Porto, entre os meses de Janeiro e Abril, de nevoeiro cerrado, que obriga muitas vezes as aeronaves com destino ao Aeroporto Sá Carneiro, não poderem aterrar neste e terem de seguir para Lisboa ou Faro, -aeródromos alternantes- superiormente estabelecidos pela entidade competente (NAVE).
Neste contexto aparece a hipótese de Vila Real, o seu aeródromo poder ter as condições adequadas para ser o alternante da região norte não existente.
O Município de Vila Real apoiado na revisão do plano director do aeródromo com data de 2008, procurou criar as condições adequadas para dotar a pista existente e toda a infra-estrutura aeronáutica a este “desideratum”.
Entretanto, o tempo passou, e, tudo isto quedou-se com boas intenções, as quais por vários motivos que agora não interessam não se concretizaram. Foram na época, tentadas soluções como: a construção de uma nova pista com 1800 metros de comprimento pois a existente tem só 970 metros, factor de alguns condicionalismos do aeródromo em termos operacionais.
Mais: para alternante do aeródromo de Vila real Trás-os-Montes possui ainda outros aeródromos regionais em Chaves, Mogadouro, Mirandela e Bragança. Sem duvida, desses aeródromos, o melhor apetrechado é o de Bragança com uma pista de 1700 metros de comprimento com uma zona adstrita que lhe permite ser aumentada o comprimento que for necessário. Não tem obstáculos, nem construções, na área de servidão aeronáutica. O município de Bragança tem procurado manter ontem e hoje o seu aeródromo como mais uma componente nas acessibilidades em toda a região. Finalmente achamos que de momento é aquele que com alguns ajustes e sem grandes gastos poderá ser o Aeroporto Regional de Trás-os-Montes.
Como ultima referencia o TGV proveniente de Vigo tem uma paragem a 30 km de Rio de Onôr na fronteira com a Espanha em Puebla de Sanabria a 40 km do aeródromo de Bragança. Deste modo Bragança passa a ter uma componente de acessibilidades que nem Lisboa possui e que virá a seu tempo demonstrar que a província de Trás-os-Montes não é só a região do Douro.