Matematicamente pensando: Ensino e aprendizagem

Vem aí setembro e o início de mais um ano letivo. É sempre bom refletir na importância que cada ano letivo tem para os alunos, para os professores e para a sociedade em geral. Parece ser consensual que a educação formal constitui um fenómeno gigantesco na transformação da sociedade.
Saliento que a educação formal em Portugal é promovida pelo sistema de ensino nos vários níveis de ensino e cursos, ocorre em salas de aula, escolas e instituições de ensino, os destinatários são crianças e jovens abrangidos pela escolaridade obrigatória ou pela frequência do ensino superior, é planificada e orientada pelo(s) professor(es) de acordo com o nível de ensino, objetivos, conteúdos, duração e estratégias, e é avaliada em termos qualitativos e quantitativos, com os resultados traduzidos em certificados conferentes de nível de escolaridade ou de grau académico.
No início de um ano é ótimo que professores e alunos comecem o ano com um pensamento positivo, alimentando a esperança de procurarem fazer o melhor que forem capazes.
Sem qualquer pretensão de apresentar conselhos a professores ou a alunos limito-me a partilhar uma pequena reflexão, cuja importância depende do interesse que cada leitor lhe atribua.
Começo por assumir que na vida fica o que conseguirmos fazer bem, assim como as soluções que encontrarmos para os problemas e para os desafios que tentamos ultrapassar. Assim convido cada aluno a questionar-se sobre o que significa ser estudante. Penso que deve haver tantas respostas quantas os estudantes, tendo cada uma a interpretação do seu autor em termos de experiências de vida, objetivos e perspetivas. No entanto, penso que é fundamental que cada estudante assuma que só é estudante quando estuda, quando se autodisciplina, quando se supera e quando contribui para a construção de um ambiente de partilha e liberdade com os colegas e com a comunidade que integra.
O apelo à reflexão é extensível ao papel do professor, pois alunos e professores constituem os elementos essenciais do sistema de ensino. Cada professor tem as suas estratégias próprias, orientando-as para que os seus alunos consigam os melhores processos e resultados de aprendizagem.
É sempre agradável poder confrontar os nossos pontos de vista com os dos outros.
O ambiente educativo é fundamental para que a aprendizagem ocorra, por vezes o ato de ensinar consiste em construir contextos onde se possa aprender, assim como aprender consiste em explorar contextos onde se possa construir conhecimento, práticas, culturas e relacionamentos.
Considerando cada aula como um contexto de aprendizagem saliento alguns aspetos que poderão ajudar a aumentar o sucesso do professor, traduzido em melhores resultados nos alunos. Assim, saliento:
- É fundamental ver em cada aluno um promissor projeto de futuro;
- Criar um bom ambiente para aprender, agradável, no qual todos os alunos se sintam bem e com disponibilidade para ouvir, falar e partilhar;
- Captar e manter o interesse dos alunos no tema que está a ser objeto de estudo;
- Recapitular o tema em estudo, atribuindo tempo a recuperar o não adquirido e a enfatizar o mais importante;
- Confrontar os alunos, de forma individual ou em grupo com os assuntos estudados através de leituras, questões, visualizações ou representações, promovendo o pensamento crítico e a construção social do conhecimento;
- Proporcionar aos alunos a possibilidade de partilharem com os colegas processos e resultados dos trabalhos realizados, incentivando-os à criação de comunidades de aprendizagem;
- Avaliar e refletir sobre os processos e os resultados das atividades realizadas.
Embora assuma que cada professor deve seguir as estratégias que considere mais adequadas aos estilos de aprendizagem dos seus alunos e que cada aluno tem os seus estilos de aprendizagem que o tornam um ser único e capaz de aprender de forma distinta dos seus colegas, é sempre bom identificarmos aspetos que possam contribuir para melhorar o ensino e a aprendizagem.