Matematicamente pensando: Erro e vizinhança

Falar de erro e de vizinhança parece tratar-se de dois conceitos aparentemente pouco relacionados, mas é possível analisá-los com sentidos idênticos. Cada conceito admite significados distintos consoante o contexto onde é utilizado. Mas, um bom princípio para começar a compreender um dado conceito é procurar o seu significado num dicionário de língua portuguesa. Neste sentido, consultando a Infopédia, dicionário da Porto Editora, pode ler-se, entre outros, como sinónimos de erro: ato ou resposta incorreta; qualidade daquilo que não corresponde à verdade; engano; apreciação ou julgamento que está em desacordo com a realidade observada; juízo falso; falta; culpa. No mesmo dicionário, surgem como sinónimos de vizinhança: qualidade do que está vizinho; proximidades; arredores; relações entre os vizinhos; figurado afinidade; analogia.
Depois de se analisarem as duas situações verifica-se que ambas apontam para uma certa flexibilidade entre algo que se espera obter e algo que se obtém. Ou seja, na análise de qualquer erro tem de haver uma margem de tolerância para julgar, assim como no conceito de vizinhança tem de haver uma margem de tolerância para classificar o tipo de vizinho que se está a considerar.
Esta reflexão sobre o erro deve-se ao facto de ter sido alvo de acesa discussão o atraso de três minutos no início de um jogo de futebol entre duas equipas da 1.ª liga portuguesa. Não vou tomar partido por qualquer um dos lados, mas em termos científicos e para uma melhor convivência entre grupos com interesses opostos é urgente que se defina o que significa à mesma hora. O conceito de mesma hora, se não for definido a partir de uma margem de erro, ou vizinhança da hora marcada, tem pouco sentido prático. Quando se fala à mesma hora significa que ambos têm o intervalo de uma hora para começarem, ou significa que começam ao mesmo minuto, ou ao mesmo segundo? Como se vê estas são interpretações possíveis. Talvez, seja adequado traduzir a mesma hora com uma margem de erro de um minuto, dois minutos, três minutos. Assim, quando se fala que um jogo de futebol, ou um encontro, está marcado para as 15 horas, ninguém ficará surpreendido se o jogo começar um, dois ou três minutos antes, ou depois, da hora marcada.
O conceito de vizinhança, tal como o de erro, parte sempre de um dado ponto e depois os vizinhos, ou as margens de tolerância, são definidos a partir desse ponto. Pois, não é difícil encontrar frases tais como: Somos vizinhos porque vivemos no mesmo prédio, vivemos na mesma rua, vivemos na mesma cidade, vivemos no mesmo país, vivemos no mesmo continente. Todas são expressões válidas que traduzem o sentido de proximidade entre os intervenientes que utilizam esses conceitos. Assim, quer o conceito de erro, quer o de vizinhança, aceites com tolerância, são de extrema importância na promoção e consolidação de boas relações entre as pessoas, entre as organizações e entre as pessoas e as organizações.