O Avião e o Major

Vamos levá-lo a conhecer um Avião. Isso mesmo um avião em Mirandela! Mas este é um avião especial pois representa a homenagem da Força Aérea ao Major Capelão Dr. Eduardo Gomes de Almeida.
 
Encontrarão um Cessna T-37C com 8,92 m de comprimento, 10,32 m de envergadura e 2,97 m de altura que atingia os 685Km/h.
O Cessna T-37 é um avião birreactor com trem de aterragem triciclo retratil, bilugar lado-a-lado e cadeiras ejectáveis. A designação do fabricante para o modelo é Cessna 318.
Em 1955 a Força Aérea dos Estados Unidos aprovou esta aeronave para instrução básica de pilotagem. Em 1962 apareceu a última versão desta aeronave, a T-37C, um modelo adaptado a usar armamento. Foi utilizado na Guerra do Vietname, como avião de apoio próximo, designado por A-37 Dragonfly.
Entraram ao serviço da Força Aérea Portuguesa a 17 de Janeiro de 1963. Foram adquiridos 30 aviões. Foram colocados na Base Aérea nº 1 e equiparam a Esquadra de Instrução Básica de Pilotagem. Divididos em duas Esquadrilhas: A nº 1, Os Feras e a nº 2 Os Águias.
Em inícios de 1964, com vista a exibir-se num festival realizado em Alverca, foi constituída uma patrulha acrobática com este avião que mais tarde da ria lugar à conhecida esquadrilha Asas de Portugal.
Saíram de serviço a 08 de Agosto de 1992.
 
O Major Capelão Dr. Eduardo Gomes de Almeida nasceu em Mirandela em 20.03.1929. Faleceu em 21.9.1998. Dele escreveu o Mensageiro de Bragança, de 02.10.1998: "Concluído o Curso de Teologia no Seminário de Bragança, D. Abílio Vaz das Neves conferiu lhe a Prima Tonsura e mandou o para Roma frequentar a Universidade Gregoriana onde se licenciou em Teologia Dogmática. Foi ordenado sacerdote pelo Cardeal Vigário, D. Luís Traglia, em 2 de Abril de 1952. Regressado à Diocese é nomeado Prefeito do Curso de Humanidades e professor da disciplina de Teologia Dogmática. Paroquiou ainda a freguesia de Gimonde e exerceu durante dois anos as funções de Capelão da Santa Casa da Misericórdia. Em 1 de Março de 1957 deixou Bragança e entrou ao serviço do exército, como Capelão tenente. Mês e meio depois, em 15 de Março. partiu para o Estado da índia acompanhando o Batalhão das Beiras.
 Depois de regressar a Portugal passou a Capelão da Força Aérea e aí se manteve até se reformar como Major. Veio depois para Mirandela e paroquiou durante alguns anos as povoações de Cedães, Cedainhos e Vale de Madeiro onde além do trabalho pastoral desenvolveu uma notável actividade cultural. Convidado para Capelão da G.N.R. foi de novo para Lisboa e aí se manteve até à sua morte. A sua actividade pastoral não se limitou à assistência às Forças Armadas, pois ajudou e colaborou com alguns párocos das paróquias de Lisboa. As cerimónias fúnebres em Lisboa foram presididas pelo Vigário Geral Castrense, D. Januário Torgal.
 Em Mirandela onde ficou sepultado, presidiu às exéquias o Prelado Diocesano. Cinquenta sacerdotes e os Capelães da Força Aérea e da GNR concelebraram a Eucaristia com o Prelado. Possuidor de uma grande cultura e dotado de uma inteligência eiva, brilhante, o Padre Eduardo Almeida soube criar grande simpatia e camaradagem entre os oficiais e praças das Forças Armadas. Vários Oficiais generais e membros da Força Aérea e da GNR deslocaram-se a Mirandela para assistir ao funeral. Durante as cerimónias fúnebres uma esquadrilha da Força Aérea sobrevoou a cidade de Mirandela em sinal de despedida e gratidão por quem lhe consagrou a maior parte da sua vida. Com a morte do Dr. Eduardo Almeida o Presbitério Diocesano ficou mais pobre, pois perdeu um dos seus membros mais cultos".