O brinquedo que vai comprar é seguro? 10 dicas para escolher

- Escolha brinquedos adequados À idade e desenvolvimento da criança a que se destina;
- Leia os avisos de segurança e as instruções de utilização. Se não existirem ou não estiverem em português, opte por outro brinquedo;
- Passe a mão pelas arestas, pontas e bordos e certifique-se de que não existe o risco de magoarem a criança;
- Verifique se tem pelas pequenas que possam ser arrancadas com facilidade (por exemplo todas, olhos ou pelos) e que caibam dentro de um rolo vazio de papel higiénico. Em caso afirmativo, opte por outro produto;
- Certifique-se de que as pilhas estão num compartimento fechado com parafuso e que se abre com ferramentas;
- Máximo cuidado para brinquedos com fios compridos: estes não devem exceder os 22cm, para que a criança não consiga enrolá-lo à volta do pescoço;
- Brinquedos com pés dobráveis, como quadros escolares ou tábuas de engomar, devem ter um sistema nas pernas de suporte que os impeça de fechar completamente, para evitar entalar dedos;
- Retire o brinquedo da embalagem, sobretudo se esta for de plástico, antes de o oferecer à criança. Guarde a identificação e morada do fabricante ou importador: é necessária, se ocorrer algum acidente;
- Evite que as crianças mãos novas utilizem os brinquedos das mais velhas, quando possam constituir risco;
- Faça uma revisão periódica aos brinquedos e deite fora os que estiverem danificados.
- Tenha atenção, a marcação CE é um símbolo colocado nos brinquedos pelos fabricantes e é um modo de controlar o mercado: não é uma garantia de segurança par aa criança!
 
Para apoio em questões de consumo ou de sobre-endividamento dirija-se à DECO (deco.norte@deco.pt) ou ao Gabinete de Apoio ao Consumidor da autarquia do seu concelho de residência (Alfândega da Fé, Carrazeda de Ansiães, Macedo de Cavaleiros, Mirandela ou Vila Flor). Estas autarquias Câmara Municipal de têm um protocolo de colaboração com a DECO.