O ENCONTRO com... D. António Montes Moreira!...

Porque se trata de um meio privilegiado de comunicação diocesana, escrevi, na semana passada, neste mesmo espaço, sobre o I ENCONTRO DE IDOSOS da Unidade Pastoral de Santa Maria do Sabor, da Diocese Bragança – Miranda. Entendia e entendo que deveria aproveitar este “púlpito” para deste inédito evento dar conta à comunidade. E as ideias criativas, bem como os objetivos, além de terem sido, globalmente, bem recebidas e positivamente correspondidas, foram presencialmente vividas e sentidas. Se dúvidas existissem quando ao êxito desta atividade, as evidências demonstram a falta de sustentação das resistências, ou mesmo das reticências… Sem estar a particularizar quem contribuiu -“deu o corpo ao manifesto” - o que verdadeiramente importa é que a contribuição genuína e do coração emergente, que tornou esta ação um verdadeiro e inequívoco êxito, alegrou e promoveu o bem-estar geral de toda a gente presente. 
Tão determinante como ter ideias criativas, é colocá-las em prática, sobretudo pela primeira vez. É ser pioneiro na identificação de novas tendências, no desenvolvimento de intervenções inovadoras, na adaptação aos desafios do quotidiano e no desenho de estratégias e modelos que possam contribuir para interagir, conhecer, unificar, alegrar e, em perfeita comunhão com o “IRMÃO”, PARTILHAR!... Tudo contextualizado num ambiente de FÉ, valorizando-se a imaterialidade da vida e materialidade repartida.
Naturalmente que, mesmo que tudo seja realizado com espírito aberto e aglutinador, há e haverá sempre os críticos da maledicência. Sobretudo aqueles que NUNCA fazem ou fizeram NADA de criativo e transversalmente interativo. Para esses, porque somos IRMÂOS EM CRISTO, vai a nossa tolerância e compreensão, num espírito aberto de promoção da harmonia e de positiva inclusão.
Obviamente que num ENCONTRO desta natureza e com este espírito de combate ao isolamento e à solidão do idoso, proporcionando momentos inesquecíveis de alegria ativa e de espiritualidade participativa, num perfeito equilíbrio intergeracional e até de alguma heterogeneidade social e geográfica, todos os intervenientes são importantes.
Todavia, não posso deixar de referenciar a presença de D. António Montes Moreira, anterior Bispo de Bragança, que se deslocou, propositadamente, para, superiormente, presidir às Celebrações Religiosas. Não obstante já ter, com o D. António Montes Moreira, convivido muitas vezes e participado em Celebrações Religiosas, nomeadamente durante o período em que exerceu o apostolado como Bispo de Bragança – Miranda, devo confessar que, no passado Domingo, a sua postura no Santuário de Nossa dos Remédios - Frieira, me deixou, ainda mais impressionado, positivamente. E se não me esqueço da ida de D. José Cordeiro, Bispo atual, àquele santuário, por ocasião da visita pastoral à freguesia de Macedo do Mato, até porque caminhamos lado a lado, pelo “caminho velho” desde Frieira, também não é menos verdade que jamais me esquecerei desta participação de D. António Montes Moreira. Não só pela disponibilidade demonstrada e pelo desprendimento material da sua MISSÃO, mas também pela forma como se dirigiu aos fiéis e como interagiu com o “povo”, como um pastor no meio das suas ovelhas”, partilhando o momento, vivendo o tempo e o sentimento, na mais genuína simplicidade, dando um excelente exemplo de entrega e humildade. 
Por isso, tendo “mexido comigo”, daqui saúdo o D. António Montes, pela sua disponibilidade que agradeço e reconheço. Volte sempre, acreditando que poderá contar com a voluntariedade do acompanhante e amigo, Padre Carlos Estevinho, certamente.