Paciência de Job

“Depois dos tempos de longa carência, os mestres-de-obras encheram vales e encostas de milhões de colunas, pináculos, mirantes e minaretes rodeados de erva ou relva verde quatro estações, sobre a qual enferrujam ou apodrecem antigas peças de grande utilidade para o cultivo das terras e apanha das colheitas. A esses tempos de vacas gordas sucederam-se os de agora, tudo indicando serem de setenta anos de modo a o escarmento chegar aos nossos netos a fim de eles subtraírem da tentação os deles. O povo amargurado mostrou até agora paciência de Job ante o infortúnio, talvez por não esquecer a sua quota de culpa na situação a principiar na escolha da classe política que o governa, a qual alcandorada no pináculo do poder demonstra pouca simpatia para com os humildes, sem ouvidos prontos a escutarem a plebe. As gentes pacientemente têm suportado bandos de arruaceiros anti-tudo, especialistas no insulto, no caos e no emporcalhamento do povo, levando o justo a pagar pelo pecador, sem remordimentos de maior ao exemplo de Job. Através do riso satírico os políticos recebem críticas suaves habilmente sorvidas no refúgio dos gabinetes, na rua os provocadores de serviço acabam em lhe serem úteis dada a nossa tendência para a lágrima furtiva, o soluço, a vontade no exercício do perdão a permitir a perenidade da culpa morrer solteira. O povo não entende as razões de um grupelho de estivadores provocar enorme prejuízo a todos ao viver gozosamente em greve há quase três meses, limitando-se a estranhar a formalidade governativa em actuar de modo tão convincente e eficaz como actua o fisco relativamente à classe médias e aos remediados. O povo na sua essência é compreensivo, temente quanto Job, o problema reside quando a gentalha consegue atrair o povo à revolta passando da condição de gente vulgar, à de populaça exaltada, irada, raivosa, impaciente, esquecida da lição do Mestre da paciência, preferindo imitar os violentos energúmenos esperançados em obterem a qualificação conseguida pelos cavalos de Átila. 

O contraste entre o povo cujo paradigma é Job, e os adeptos da terra queimada é evidente, no entanto, as continuadas medidas tendentes à propagação da miséria acabarão por criar condições para os violentos se organizarem de modo consistente e continuado. Se acontecer, aguarda-nos uma patuleia alimentada através da Internet. Os deputados representantes do povo paciente não pensam nessa possibilidade? Eles também vão ficar soterrados no entulho!