Segunda Epistola de Bragança aos Comunistas

Por causa da revolta do vosso povo os sumo-sacerdotes e os escribas do PCP – o vosso partido- tocaram a fogo para tentar apagar o incendio que vos consumia.
E foram à arca das antiguidades e lá encontraram um da classe operária, dos trabalhadores (da Lisnave) e do povo (da cintura industrial de Lisboa) e fizeram dele o sucessor de Carvalhas.
Jerónimo o escolhido tinha a dura e ingrata tarefa de fazer parar a fuga dos votos, de deputados, de quadros e do povo.
Apesar de ser um homem afável e simpático Jerónimo não tinha lucidez (visionaria), a preparação (Stalinista) e o pragmatismo (ideológico) do vosso profeta (e querido líder) Álvaro Cunhal, mas era (de longe) um líder melhor que Carvalhas. Foi capaz de enfrentar o Bloco de Esquerda dando luta para que a demagogia de ex UDP e ex-troxkistas  do PSR (de Lôuça) evitando que o PCP – o vosso partido – deixasse de ser o 4º do campeonato político português.
Foi capaz de escolher candidatos presidenciais que  ultrapassassem os 5% de  e deste modo as suas campanhas presidenciais continuavam a ser suportadas pelo Estado e não apenas o vosso povo.
Mas como a idade não perdoa o vosso profeta Jerónimo não foi capaz de evitar que o BE vos ultrapassasse na classificação chegando ao 3º lugar do campeonato político e o vosso candidato presidencial (o sr. Silva) tivesse sido ultrapassado  pela noviça Marisa não chegando (sequer) aos 5% de votos e, em consequência, a campanha do escriba (sr. Silva) tenha de ser, agora suportada pelos cofres da vossa irmandade.
Não era fácil ao vosso profeta Jerónimo arranjar uma noviça (de cara engraçadinha) que evitasse o descalabro e eleitoral do vosso candidato e ficasse atrás dos 5% e do Tino (de Rans). Até porque no que diz respeito à política (como em tudo na vida) a idade não perdoa...
E agora depois da água arramada tendes que aproveitar a que puderes.
O vosso profeta  Jerónimo prometeu-vos uma nova política e um novo caminho.
Disse-vos que com o apoio da classe operária, (a desaparecer) dos trabalhadores e do povo era possível uma outra política patriótica e de esquerda que devolvesse aos trabalhadores  e ao povo aquilo que a direita lhes havia roubado. Também esse objectivo não foi conseguido pois (a direita) Passos Coelho e Paulo Portas ganharam as eleições, outra vez e não foi por poucochinho.
Perante estes cenário previsível valeu ao vosso profeta Jerónimo que no PS estivesse outro derrotado que arrotava postas de vitória derrotada e que poderia chegar à sinagoga do poder (Governo) com o apoio de 3 derrotados. Um governo PS apoiado pelo vosso profeta e pela nova (madre) do Bloco.
O vosso Profeta Jerónimo disse-vos que iria apoiar e suportar um governo do PS mas só se fosse chefiado por um Tonho. E que apoiando esse governo (do PS) era possível bater o pé à Europa! Como tinha prometido Tsipras à Grécia!