Um caso raro de longevidade

O "Mensageiro de Bragança" é uma instituição de Trás-os-Montes. Setenta e cinco anos são muitos anos mesmo na vida de um jornal. Muitos jornais nascem, alguns crescem, mas poucos sobrevivem às atribulações e incertezas de um mundo em mutação acelerada. O  "Mensageiro" é um caso raro de longevidade. Setenta e cinco anos levando notícias e outras "mensagens" à comunidade transmontana. Setenta e cinco anos ao serviço da Informação, da Cultura e da Economia. Mês após mês e ano após ano, foi trilhando um árduo caminho, angariando leitores e consolidando o seu lugar de jornal de referência da imprensa regional portuguesa. Décadas e décadas de bons serviços prestados à Região. 
Tomei conhecimento da existência do "Mensageiro de Bragança" muito menina, ouvindo associá-lo ao nome do meu avô Álvaro Meireles, leitor assíduo e não sei se colaborador. Mais tarde, reconheci o jornal impresso em letra da forma em casa de meus pais. O curso da vida afastou-me da terra natal, proporcionou-me muitas e variadas leituras e o acesso à diversidade de línguas e culturas. Entre encontros e desencontros, naturais na vertigem do tempo que passa, fui acompanhando, ainda que a distância, o percurso do "nosso" jornal. E porque Deus escreve direito por linhas tortas, eis-me agora articulista do "Mensageiro", numa espécie de regresso às origens. É para mim uma honra escrever neste jornal. É gratificante testemunhar que os transmontanos da diáspora, que comigo se cruzam nas mais variadas situações, são fiéis ao jornal da sua região e gostam do que escrevo. Para quem escreve, não há recompensa maior que o apreço dos leitores. 
Agradeço, pois, o convite que o Padre José Carlos Martins me endereçou. 
A importância da imprensa local e regional (ILR), como "facto social da maior relevância", é reconhecida pelos públicos e pelas autoridades. Como socialista, orgulho-me de que, como consta num estudo da Universidade do Minho, a ILR só tenha começado a ser olhada como "um assunto sério" no primeiro governo de António Guterres.
E porque em dia de aniversário manda a tradição que se felicite o aniversariante, junto a minha às muitas vozes que vão cantar os parabéns ao "Mensageiro de Bragança", desejando que continue por muitos e bons anos a bem servir as gentes e as terras transmontanas. E felicito a direção, a redação e todos os que têm contribuído para engrandecer e prestigiar o "nosso" jornal. 
No início deste novo ano, quero deixar  à reflexão dos leitores - e assim termino - as sábias palavras do Papa Francisco: "Penso em todos os que estão desempregados, frequentemente por causa de uma mentalidade egoísta que procura o lucro a todo o custo".