Verifica-se um aumento de reclamações de consumidores defraudados com algumas compras realizadas no decorrer de excursões organizadas

Embora o consumidor não seja obrigado a comprar, nestas demonstrações, de presença obrigatória, são utilizadas práticas agressivas de venda, levando-o a adquirir bens que não necessita, a preços elevados.
 
As principais reclamações prendem-se com a entrega de produtos que não correspondem ao apresentado, o não respeito pelo direito de cancelamento do contrato no prazo de 14 dias, o desrespeito pelos direitos do consumidor quando surgem defeitos dentro do prazo garantia, a dificuldade de contacto com o vendedor e a ausência de resposta às reclamações.
 
A DECO aconselha os consumidores a estarem atentos às seguintes questões:
 
Se comprar uma excursão certifique-se se a mesma inclui demonstrações comerciais. Esta informação tem de constar da publicidade à viagem;
 
Se adquirir algum bem, exija uma cópia do contrato devidamente preenchido;
 
Caso se arrependa da compra após a assinatura do contrato, ou quando lhe entregarem o produto, lembre-se que tem 14 dias para cancelar o contrato, através de carta registada com aviso de receção, para a morada indicada no contrato/nota de encomenda;
 
Todos os bens móveis têm dois anos de garantia, pelo que se surgir um defeito dentro do prazo de garantia, deve apresentar reclamação, por escrito, ao vendedor.
 
Para apoio em questões de consumo ou de sobre-endividamento dirija-se à DECO (deco.norte@deco.pt) ou ao Gabinete de Apoio ao Consumidor da autarquia do seu concelho de residência (Alfândega da Fé, Carrazeda de Ansiães, Macedo de Cavaleiros, Mirandela ou Vila Flor). Estas autarquias Câmara Municipal de têm um protocolo de colaboração com a DECO.