César Rodrigues

O fanatismo islâmico

Talvez nunca se tenha falado tanto de fanatismo como nos últimos dias por causa da matança no Charlie Hebdo. No entanto, em lado nenhum vi um comentador que explicasse ou definisse o conceito de fanatismo. Por isso, gostaria de, nesta breve análise, começar por aqui.
 
1 – Para mim, o fanatismo implica 3 características ou pressupostos:
1.1 – No plano do conhecimento, o fanático está convencido de que as suas convicções são as únicas «verdadeiras», sendo falsas todas as outras.

O colapso do liberalismo II – A crise de 2008

Todos percebemos, desde o início, que a crise financeira de 2008 resultou, em última análise, da ganância dos Bancos e dos grandes grupos financeiros. O primeiro a cair foi o Lehman Brothers, mas quase todos estavam contaminados pelo mesmo vírus da ganância desenfreada, sem limites e sem controlo. Os momentos principais desse processo foram os seguintes:

O colapso do liberalismo: I - A crise de 1929 e o «New Deal»

Há dias, o Canal Odisseia transmitiu o documentário «Os ladrões do sonho americano», que, apoiando-se em factos devidamente documentados, aborda as crises de 1929 e 2008. Nesta edição abordo a crise de 1929 e a sua superação através do chamado «New Deal», deixando para a próxima edição a crise de 2008.
No crash bolsista de 1929, os factores mais importantes a considerar são os seguintes:

A «cegueira de escolha», o futebol e a política

A Psicologia tem vindo a aprofundar, cada vez mais, de uma forma experimental, os seus estudos a respeito da percepção e dos mecanismos psicológicos das escolhas e das decisões.
Num desses estudos, eram mostradas, aos voluntários do mesmo, as fotos de duas pessoas diferentes. Cada voluntário devia indicar o rosto mais atraente, após o que, sem que ele se apercebesse, eram trocadas as fotos, pedindo-se-lhe que justificasse porque escolhera aquela foto (que não fora a escolhida, mas a rejeitada).
E só 1 em cada 5 voluntários é que se apercebia da troca.

Resposta a um jornal

Na sua penúltima edição, o «Jornal Nordeste» publicou o seguinte texto: “Mercador – Há um padre na diocese de Bragança que aproveita as missas para vestir a pele de promotor de vendas. Oh senhor padre, olhe que os fiéis ainda se lembram que Cristo expulsou os mercadores do templo … Então não lhe ensinaram isso em Roma?!”
Este texto merece-me as seguintes considerações:

A crise e as suas causas – 3

Para lá das causas que já analisámos nas duas últimas edições, outras há como possíveis. Uns falam na globalização, e outros, no próprio sistema capitalista em si.

A crise e as suas causas – 2

Depois de, no número anterior, termos focado algumas das causas internas da crise, analisemos, hoje, o modelo do Estado Social como potencial causa da actual crise.  

A crise e as suas causas – 1

Por mais que queiramos, não podemos fechar os olhos à crise. E é impossível pensar na crise sem pensarmos nos seus responsáveis ou nas suas causas.   

Neste âmbito, a questão que se coloca é esta: quais são as causas da nossa crise?