José Mário Leite

POUCOCHINHO

António Costa apeou António José Seguro por este ter ganho por poucochinho, nas anteriores eleições. “Quem ganha por poucochinho, faz poucochinho” disse e repetiu enfaticamento o ex-presidente da Câmara de Lisboa. O resultado do PS, se não fosse, como foi, uma derrota, seria uma vitória ainda mais escassa que a obtida para as europeias. E seria poucochinho o que o novo Primeiro Ministro socialista poderia fazer.

JOSÉ SÓCRATES Da convicção à (in)certeza

Quando o antigo líder do PS foi preso e acusado, pensei seriamente que ele seria culpado. Eu e a maioria dos que assistiram, atónitos, à detenção, quase em direto, do ex-primeiro ministro. Não passaria pela cabeça de ninguém que o Ministério Público promovesse uma ação daquela envergadura e repercussão sem ter razões sólidas e muitíssimo bem fundadas. A minha indignação deveu-se ao modo humilhante com que o assunto foi tratado, mas imputei o exagero à comunicação social ávida de notícias e fenómenos bombásticos que lhe garantam venda de papel e suporte adequado de audiências.

MARATONAS (e sustentabilidades

 

Da campanha eleitoral recente do muito que se disse e do que se não disse há um ponto reconhecidamente comum: a sustentabilidade da Segurança Social. Igualmente está na agenda política desde há muito e com grande premência a sustentabilidade do Serviço Nacional de Saúde.

 

CEPIHS

 

RAVENA E O MOTOR MONOFÁSICO

 
Numa das suas ficções, Jorge Luis Borges fala-nos de Droctulf, um guerreiro lombardo que participou na invasão de Ravena, integrado no exército germânico. O bárbaro, depois de arrasar várias povoações italianas ao transpor as muralhas da cidade deslumbrou-se de tal forma com a beleza do que viu e contemplou que mudou de “trincheira” e morreu a defendê-la dos que com ele inicialmente a atacaram.
Tal como os cavaleiros mongóis que acabaram por envelhecer nas cidades chinesas que pretendiam destruir para que nelas fosse feita uma gigantesca área de pastoreio.

RECICLARTE (VIOLINOS DE LATA)

No passado dia sete de Setembro foi anunciado e entregue mais um Prémio António Champalimaud de Visão no magnífico anfiteatro da Fundação que tem o seu nome, com a presença e patrocínio do Presidente da República.

CULTURA POR CAUSA CULTURA POR ACASO

A dramática morte de Amadeu Ferreira conduziu à convocação de eleições para os corpos dirigentes da Academia de Letras de Trás-os-Montes a que presidia.

SUBSÍDIO PARA SUICÍDIO

 
Neste início de férias em que o tempo cálido e ausente de notícias de relevo convida ao descanso e ligeireza, decidi partilhar com os leitores um episódio que apesar de estranho é verídico, estando devidamente registado e documentado no arquivo da correspondência da Fundação Calouste Gulbenkian. Corria o ano de  1987, Portugal tinha acabado de entrar para o Clube Europeu e os portugueses iniciavam-se numa arte que teria grandes e muitos aderentes: a obtenção de subsídio!

Subsídio para suicídio

Neste início de férias em que o tempo cálido e ausente de notícias de relevo convida ao descanso e ligeireza, decidi partilhar com os leitores um episódio que apesar de estranho é verídico, estando devidamente registado e documentado no arquivo da correspondência da Fundação Calouste Gulbenkian. Corria o ano de  1987, Portugal tinha acabado de entrar para o Clube Europeu e os portugueses iniciavam-se numa arte que teria grandes e muitos aderentes: a obtenção de subsídio!

Big Data (Continuação)

Relativamente à minha última crónica sobre a proteção de dados pessoais foram levantadas duas questões aparentemente parecidas mas que, na realidade, não o são. Amigos comentaram que este é um problema e uma consequência da contemporaneidade. É a vida moderna que exige esta “exposição” para adequação à sociedade da informação. E, contudo, nem esta parafernália responde a desafios modernos, nem tão pouco a preocupação com este tema é de agora.