Nem as obras de arte escapam à má educação

  O elemento escultórico instalado na Praça Camões, em Bragança, foi alvo de vandalismo e está repleto de gatafunhos e rabiscos. Parece que alguns não encontram outro meio para reafirmar a sua identidade que não seja de firmar o nome no ferro da obra de arte. Talvez se usassem mais o papel para escrever e para ler aprendessem que a arte pública é de todos, e que os actos de vandalismo são criminalizados.