Bragança

GDB e o sonho de chegar à II Liga

Publicado por AGR em Sex, 2014-02-14 17:20

Das três equipas do Nordeste Transmontano que esta época iniciaram a participação no Campeonato Nacional de Seniores, o Grupo Desportivo de Bragança foi o único que conseguiu garantir o bilhete para a fase seguinte, o de apuramento de campeão, que pode dar acesso à II Liga e à entrada nos campeonatos profissionais. O sonho está lá, até porque como faz questão de frisar Manuel Martins, o presidente do clube, “não há nenhuma equipa que entre numa competição para perder”.
No entanto, os objetivos a que o grupo se propôs este ano “estão mais do que alcançados”, frisava o capitão Ximena, no sábado, durante um almoço convívio com atletas, dirigentes, equipa técnica e respetivas famílias. “Somos a única equipa a nível nacional que vem da terceira divisão e consegue apurar-se para a fase de campeão. O nosso objetivo no início da época passava pela manutenção. As coisas foram correndo bem, fomos começando a ganhar uns lugares. O objetivo está cumprido mas vamos tentar dar sempre mais um bocadinho de nós para poder, pelo menos, discutir todos os jogos e tentar os três pontos”, frisava Ximena, a meio de uma refeição à base de javali, abatido pelo próprio treinador Rui Vilarinho.
O encontro serviu para demonstrar a união do grupo e reforçar laços. Aliás, nesse mesmo dia, o plantel tinha chegado de Chaves onde esteve um dia em estágio para começar a preparar da melhor forma a participação na segunda fase do campeonato. Este pode ser um momento “histórico para o clube” e os jogadores sabem disso, a começar pelo outro capitão, Rui Gil, que já não se lembra de ver aquele que é o seu clube há 25 anos a disputar a antecâmara da I Divisão do futebol português.
Para trás ficaram já os festejos pelo objetivo alcançado, tão cedo este ano. “Foi um êxito que muita gente não esperava”, frisa Manuel Martins, com alguma mágoa, pela falta de apoio da cidade ao clube da terra. “Mas vamos à luta. Chegar à II Liga era o que mais queria, sabendo, no entanto, que não é fácil”, deixa escapar. “... E os jogadores mereciam.” Por isso, os bilhetes têm estado a preços simbólicos, quando não mesmo de graça. “O importante é trazer gente aos estádios”, sublinha o presidente.
Para Francisco Asseiro, o braço direito de Manuel Martins, terminar num dos dois primeiros lugares da primeira fase “deu mais satisfação do que ser campeão no ano passado”, admite, com algum exagero. “O objetivo desportivo definido para maio foi conquistado em janeiro”, sublinha “Chico” Asseiro. “É uma vitória do clube e da cidade, que terá de reagir em conformidade”, pede, enquanto sublinha que “infelizmente, houve gente em Bragança que ficou triste. É lamentável...”
 
Boa vizinhança

Jogos entre Bragança e Mirandela são sempre quentes, ou não fosse este um dérbi. No entanto, Manuel Martins garante que já estão ultrapassados os tempos de maior tensão. “Temos uma boa relação com todos os clubes. E lamentamos que o Mirandela não nos acompanhe, também, para a fase de subida. Mas desejamos-lhes toda a sorte para esta segunda fase que vão disputar”, frisou.
 
Treinador pede empenho
 
Rui Vilarinho chegou ao Bragança no final da época passada, mas ainda a tempo de garantir a subida ao clube.
Podendo preparar esta temporada desde início, montou uma equipa à sua imagem, com garra e trabalhadora. Agora, com “parte dos objetivos realizados”, mostra-se “orgulhoso do trabalho” que tem sido desenvolvido. Mas adverte que ninguém se pode deixar adormecer à sombra do sucesso. “Vamos entrar numa fase mais difícil, com equipas de outro poderio, com outros argumentos mas nós também temos os nossos. Não nos vamos preocupar com subidas nem com mais nada. Tínhamos de nos preocupar com a descida mas isso já não existe. Vamos desfrutar dos jogos que aí vêm, dar uma boa imagem e isso não se faz só com resultados mas sim com entrega, disciplina, organização e isso é muito importante”, frisa.
O treinador, natural de Macedo de Cavaleiros, continua sem entender, no entanto, a relação difícil que a cidade de Bragança tem com o clube. “Estes atletas mereciam ter aqui mais pessoas a ver os seus jogos. Lanço o repto às pessoas de Bragança para verem o esforço que esta direção está a fazer. Tem oferecido convites, entradas gratuitas. Esta é uma cidade que está um pouco afastada do futebol e não sei porquê. Há cidades mais pequenas, muito próximas de nós, em que as pessoas aderem e é uma festa. Nós gostávamos que fosse assim aqui também. Tudo temos feito para que isso aconteça”, garante.
 
Formação quer melhorar
 
Para além da equipa de seniores, o Grupo Desportivo de Bragança tem plantéis em quase todos os escalões, dos benjamins aos juvenis. A exceção são os juniores, até porque este ano não há campeonato distrital dessa categoria. Mesmo assim, a antiga equipa desse escalão tem disputado o Distrital de Seniores, como equipa B, ocupando, atualmente, o segundo lugar, atrás do Moncorvo.
Em Benjamins e Infantis, o clube está no quarto lugar dos respetivos campeonatos, sendo sexto no distrital de Iniciados. Nesta categoria tem, ainda, uma equipa a disputar a fase de manutenção do campeonato Nacional (sétima classificada), enquanto as duas equipas de juvenis dominam o “seu” distrital.
De acordo com Luís Gonçalves, o responsável pela formação do clube, ao todo são cerca de 150 os atletas este ano. “Já temos excelentes treinadores, departamento médico, contratámos um fisioterapeuta. Só nos falta um ginásio. Mas estou convencido que na próxima época vamos resolver essa situação”, frisa.
Responsável pelo apoio às camadas jovens, Luís Gonçalves fica, no entanto, desagradado com alguns comportamentos que vai vendo nos jogos. Por isso, deixa um pedido: “Há pessoas que vão para a bancada só para criticar. Agradecemos que não apareçam. Hoje são os filhos dos outros mas amanhã podem ser os deles”, conclui.

Tags