Finalmente!

Com uma semana algo sombria pelos muitos protestos, críticas e providências cautelares face à reforma em curso e que retira proximidade e comodidade às populações do interior desertificado, a justiça portuguesa deu finalmente um ar da sua graça com uma surpreendente sentença no final do julgamento do processo “ Face oculta”.
A  decorrer no tribunal de Aveiro há bem mais de três anos, com um número elevado de arguidos acusados de tráfico de influências, favores principescamente recompensados e corrupção, nomes bem conhecidos da politica nacional ou detentores de cargos públicos apresentaram as suas razões face à acusação que lhes caía em cima, após uma investigação bem realizada pela Policia Judiciária e coordenada pelo Ministério Público. Por ali passaram também muitos ilustres e conhecidas figuras que vieram abonar o bom nome e o caracter de alguns dos acusados.
Ao contrário do que o cidadão comum murmurava nas ruas e cafés, o certo é que desta vez e apesar do número elevado de pessoas a ouvir, o tribunal andou depressa e concluiu em tempo, sentenciando os arguidos com penas que segundo os seus advogados, ninguém
esperava! Claro que agora irão ter lugar muitos recursos para os tribunais superiores que durarão alguns anos, mas não deixa de ser simbólico e pedagógico, se não mesmo dissuasor, que a presente sentença deixou visível que a verdadeira justiça não contemporiza com os poderosos da finança ou da política como parecia transparecer nalguns casos que recentemente passaram pelos nossos tribunais. O que se deseja afinal, é que esta sentença do tribunal de Aveiro seja a porta aberta para a continuidade duma justiça rápida e eficaz, punindo em tempo os infractores e devolva ao Estado, do qual todos fazemos parte, os muitos milhões roubados aos contribuintes!