Futsal

Maratona de Futsal Mensageiro de Bragança foi um sucesso

Publicado por AGR em Sex, 2015-06-12 18:22

Sernor, de Cláudio, Formiga, Côco e companhia foi a equipa vencedora, numa final em que derrotou a Açorena, de Arnaldo Pereira e Ricardo Fernandes, perante um pavilhão cheio. Jogadores destacam o contributo desta iniciativa para a promoção da modalidade.
Nem o facto de jogar literalmente em casa - afinal, o pavilhaão municipal tem o seu nome - valeu a Arnaldo Pereira a vitória na Maratona Futsal Mensageiro de Bragança, um evento que se insere nas comemorações dos 75 anos do jornal diocesano.
Perante a Sernor, uma equipa formada por jogadores de várias formações da primeira divisão do futsal nacional, a Açoreana acusou o cansaço de uma maratona de 40 horas de futsal, num pavilhão vibrante.
“Nem a jogar em casa”, lamentava, no final, o “Expresso de Bragança”, entre sorrisos. “Jogaram bem e mereceram ganhar”, concedeu Arnaldo Pereira, autor de um dos golos da sua equipa.
De facto, este foi o ponto alto de um fim de semana intenso, com 18 equipas participantes naquele que pretende ser o maior evento do género.
Cláudio, guarda-redes do Fundão, recebeu das mãos de Hernâni Dias, presidente da Câmara de Bragança, o troféu para o vencedor e os três mil euros de prémio que atraíram jogadores de todos os pontos do país.
Tiago Soares, da Sernor, foi eleito o melhor jogador do torneio, enquanto João Neves, da equipa ‘Futsal’, foi o melhor guarda-redes, apesar de a sua equipa ter ficado pelas meias-finais do torneio.
A equipa do Mensageiro de Bragança/Casa de Trabalho, composta maioritariamente por educandos do Patronato de Santo António, de 16 e 17 anos, foi eleita a equipa Fair Play.
Numa altura em que as duas instituições completam 75 anos de existência na diocese, foi proposta uma equipa mista, composta pelos jovens mas polvilhada pela experiência do capitão, o  Pe. Paulo Pimparel.

Nível a subir

No final, vencedores e vencidos faziam “um balanço positivo”, acreditando que o nível competitivo do torneio tem vindo a crescer de forma sustentada.
“Estes eventos são sempre importantes porque trazem pessoas das outras cidades para a nossa região. A nível de futsal também porque os mais novos vêem os ídolos e entusiasmam-se. Não só o Arnaldo mas outros jogadores. Há equipas novas que têm bons jogadores, como o Paredes. Os miúdos vêem, gostam e ficam com o bichinho”, dizia Arnaldo Pereira.
“Toda a gente gosta de ganhar mas o importante é o convívio e a festa. Em relação ao ano passado, a Maratona evoluiu”, concluiu.
Formiga, da Sernor, concorda que a Maratona “está melhor”. “Tem mais jogadores conhecidos e é bom sinal, de que a cidade de Bragança está a apostar no futsal e que a Maratona está cada vez melhor. É o segundo ano e espero vir mais vezes”, sublinhou.
Tuka (Olivais), Ciro e Paulinho (Braga), Tiago (Fundão), Daniel (Rio Ave), Coelho (Módicus), Côco (Rússia), Formiga (Boavista), Cláudio (Fundão) e o Preto (Pinheirense) foram alguns dos jogadores da equipa vencedora, que proporcionaram ao muito público presente um grande expetáculo, com momentos de fazer levantar as bancadas.
No próximo ano há mais.
 
Maratona das Escolas promoveu o futsal entre os mais novos
 
Uma experiência inesquecível para os alunos. Foi assim a Maratona das Escolas, que, pela primeira vez, se realizou em paralelo com a Maratona de Futsal Mensageiro de Bragança.
Com quatro equipas participantes (a Escolinha do Arnaldo Pereira foi convidada a substituir o Agrupamento de Vinhais quem à última hora, não pôde participar por dificuldades logísticas), o agrupamento Abade de Baçal acabou por vencer, num torneio em que todas as formações mostraram muito querer e capacidade.