Tese

Investigadora da ESE diz que Cervantes nunca estudou em Bragança

Publicado por Glória Lopes em Qui, 2016-12-15 09:45

Afinal, Miguel de Cervantes (1547-1616) pode nunca ter estudado em Bragança, nomeadamente no antigo Colégio dos Jesuítas, atual centro cultural municipal, onde existe, inclusivamente, uma sala com o nome do famoso escritor espanhol.  Quem o afirma é Alexia Dotras Bravo, cervantista, investigadora/docente na Escola Superior de Educação (ESE) no seu estudo "Las Falsificaciones da Historia: Cervantes entre Bragança y Sanábria". Na demanda pelo rasto do famoso escritor espanhol em terras transmontanas, a investigadora acabou no  Abade de Baçal, investigador e escritor, e deparou-se com mais de dois mil livros do século XVI, XVII, XVIII e XIX por catalogar no Arquivo Distrital de várias proviniências.  Também teve comnhecimento de uma edição de D. Quixote, pela qual o Abade Baçal leria  e que está na Escola Secundária Emídio Garcia, entre outros livros que pertenceram ao autor transmontano.