Política

Eleições nas concelhias PS dão empate em Vila Flor

Publicado por António G. Rodrigues em Qua, 2018-01-24 17:49

O único concelho em que duas listas concorriam à respetiva concelhia registou um empate a 40 votos, com dois brancos e um nulo que gerou alguma discussão. Aconteceu em Vila Flor, um dos dez concelhos do distrito de Bragança em que aquelas estruturas locais socialistas foram a votos na passada sexta-feira.

Vitoriano Fernandes e João Valério tiveram os mesmos 40 votos, havendo ainda dois brancos e um nulo, em que a cruz estava fora de qualquer quadrado.
Estas eleições terão, agora, de ser repetidas.

Em Vimioso e Carrazeda de Ansiães não se realizaram eleições por não haver um número mínimo de 21 militantes em condições de votar para constituir uma lista.

Houve ainda renovação em Bragança (André Novo), Miranda do Douro (Manuel Gonçalves, de Palaçoulo), Alfândega da Fé (Orlando Borges) e Torre de Moncorvo (Luís Lopes).
Os restantes dirigentes renovaram os seus mandatos, casos de Pedro Mascarenhas em Macedo de Cavaleiros, Júlia Rodrigues em Mirandela, Pedro Miranda em Vinhais, Nuno Ferreira em Freixo de Espada à Cinta e Hernâni Fernandes em Mogadouro.
 
André Novo quer unir
Em Bragança, afinal, acabou por ser uma eleição sem história. André Novo foi o único candidato, depois da desistência de Dinis Costa, mas arrecadou ainda 188 votos dos 212 militantes que votaram, dos 326 inscritos, o que corresponde a 65 por cento. Agora, e com uma lista que congrega apoiantes de Jorge Gomes e outros de Mota Andrade, frisa que pretende é “união”, recusando mostrar a apoio a algum candidato à Distrital.
 
(Corrigido às 14h56. São 326 militantes inscritos em Bragança e não 212)
(Artigo completo disponível para assinantes ou na edição impressa)