A opinião de ...

A Força Aérea Portuguesa no apoio ao combate dos incêndios florestais

 
Infelizmente neste últimos anos o flagelo dos incêndios vem aumentando, sem que se vejam medidas para acabar com esta situação. Cada vez mais preocupante.
No início do mandato, este governo, anunciou que a Força Aérea Portuguesa iria gerir toda a problemática da utilização dos meios aéreos no combate acima referido.
Se recordar-mos Setembro/Outubro de 2015, podemos apresentar tudo o que aconteceu neste ano na prevenção e combate a incêndios em 2005. Assim:
A Força Aérea Portuguesa tem disponibilidade desde o início da campanha de combate a incêndios em 2005, a exemplo dos anos anteriores, os seguintes meios:
·       2 helicópteros Alouette III (AL III), para apoio ao Serviço Nacional de Bombeiros e Proteção Civil (SNBPC) na coordenação dos meios aéreos e transporte de pessoal, a partir de qualquer ponto do País donde o SNBPC entender mais eficaz;
·       Utilização das bases aéreas para apoio logístico e operacional às tripulações e aeronaves ao serviço do SNBPC.
·       Adicionalmente, todos os pilotos da Força Aérea receberam instruções para colaborarem na deteção precoce de focos de incêndios florestais, tendo sido instruídos e autorizados desvios às rotas das suas missões para executarem reconhecimentos visuais com esse objectivo,etc.
À semelhança do que aconteceu no Verão de 2003, o apoio aéreo internacional que ocorreu no pedido de auxílio do nosso País, utilizou Monte-Real como base apoio à sua actividade, tendo nesse Verão, dois aviões Canadair da França, um de Itália e um de Espanha foram devidamente assistidos, em todos os aspetos inerentes a esta função.
Igualmente, operou no mesmo período em conjunto com os Canadair a partir da Base Aérea, nº 5, Monte Real, um Alonette III da Base Aérea de Beja(11).
Finalmente, pensamos que a Proteção Civil tinha grandes vantagens a juntar aos meios aéreos da EMA (Empresa de Meios Aéreos) a Força Aérea.
Assim, a Força Aérea que em conjunto com a já referida EMA poderá debater este problema, para bem de todos nós.
Os incêndios que têm acontecido, provocam na opinião pública um certo descontentamento que poderá ser ultrapassado com os meios aéreos devidamente utilizados, a tempo e horas especificamente no início dos mesmos incêndios, em perfeita coordenação com os meios terrestres ou seja Bombeiros e outros agentes ligados a este combate.

Edição
3668