A opinião de ...

Saiba mais sobre os cartões de crédito revolving.

Os cartões de crédito são um dos instrumentos financeiros mais utilizados pelos portugueses e também o mais caro devido à maior taxa de juro associada. O cartão de crédito, também designado de “dinheiro de plástico”, foi criado para facilitar a vida ao consumidor, trazendo vantagens ao seu titular, nomeadamente se viajar para o estrangeiro.
Trata-se de uma ferramenta de pagamento que funciona através de uma linha de crédito, com um limite máximo, o plafond de crédito, definido previamente pelo banco. Este cartão, que poderá ter anuidade associada e também ser cartão de débito, tem várias funcionalidades, designadamente a de meio de pagamento para a compra de bens ou serviços e/ou a de levantamento de dinheiro, por exemplo. Regra geral, se reembolsar totalmente o valor em dívida, entre 30 a 50 dias de vista após a sua utilização, não incorrerá em juros.
Quando o crédito for renovável, no termo inglês revolving, tal equivale a dizer que cada vez que for reembolsando o valor em dívida do cartão, total ou parcialmente, voltará a estar disponível nova linha de crédito, até ao limite do plafond disponível no cartão. Se optar pelo pagamento parcial, incorrerá no pagamento de juros sobre o valor usado e não reembolsado.
Quanto mais tempo demorar a pagar o valor em dívida, mais juros pagará e mais tempo será necessário para liquidar a totalidade da dívida. O crédito revolving renova-se à medida que for pagando a dívida e os juros e muitas vezes, tal acontece sem que os consumidores se apercebam.
Outra funcionalidade que os cartões de crédito podem ter é o do cash advance, ou seja, poderá levantar dinheiro em caixas automáticas ATM ou ao balcão do banco, mas estará também sujeito a juros e comissões que poderão ser bastante onerosas para o seu orçamento.
Seja prudente na utilização do cartão de crédito e controle os seus pagamentos com o cartão para não incorrer no pagamento de juros. Opte pelo cartão com menor taxa de juro, de preferência sem anuidade, analise os serviços e seguros associados e combine com o banco, em função da sua taxa de esforço o limite de crédito que pretende, definindo assim as funcionalidades que melhor respondam às suas necessidades e ao seu perfil financeiro.
Para pedidos de apoio dirija-se à DECO (deco.norte@deco.pt) ou ao Gabinete de Apoio ao Consumidor da Câmara Municipal de Alfândega da Fé ou de Macedo de Cavaleiros. A DECO dispõe de um protocolo de colaboração com estas Autarquias e presta apoio presencial nestes concelhos.

Edição
3680