Desporto // Futebol

Argozelo vence dérbi do título e salta para a frente do Vimioso

AGR em Ter, 14/04/2015 - 11:32

O Argozelo venceu este domingo o Vimioso, por 3-2, e regressou ao comando do Distrital de seniores, com os mesmos 48 pontos do Águia mas com vantagem no confronto direto.
Antevia-se um jogo quente no campo das Minas entre as duas formações mais fortes desta temporada, sobretudo depois da nomeação de Ricardo Morais para este jogo, ele que tinha sido muito contestado no jogo entre o Argozelo e o Sendim de 1 de março.
Uma nomeação muito contestada antes e depois do encontro.
Num campo com as bancadas bem compostas e o presidente da AFB a observar no exterior das bancadas (António Ramos, desta vez, não se dirigiu à cabine do árbitro no final do encontro como aconteceu uma semana antes, no jogo com o Rebordelo, em que esteve mais de 15 minutos no balneário de Fernando Lhano).
O Vimioso até começou melhor, chegando à vantagem logo nos primeiros minutos, por Pedro Martins.
O Argozelo, a quem interessava mais a vitória, não se deixou ir abaixo e partiu para cima do adversário. À passagem do quarto de hora, Márcio isola-se pela direita e remata cruzado. Tiago (o melhor em campo) surge no centro da área a encostar e a confirmar o golo do empate. Os de Vimioso pediram fora de jogo mas, pelas imagens disponíveis (sequência de fotos) dá a sensação que Tiago está atrás da linha da bola.
O Vimioso tentava sacudir a pressão, mas não conseguia colocar a bola no chão, como gosta. O guarda redes do Argozelo, Zé Luís, era um mero espectador.
O Argozelo procurava explorar os lançamentos longos mas via dois ataques perigosos anulados por foras de jogo, muito contestados pelos locais. Aos 32', Márcio, solto de marcação na direita, remata cruzado e Michel interceta a bola com o braço. Penálti e vermelho direto para o central do Vimioso (fica a dúvida se pela falta se por alegados protestos).
Pedro Sousa converteu e deu vantagem ao Argozelo. Mas, mesmo com menos um jogador, o Vimioso nunca deitou a toalha ao chão e tentou a sua sorte em contra-ataque. Em duas dessas situações, os de Vimioso queixaram-se de dois pretensos penáltis. Um sobre Litcha, abalroado por Yuran dentro da área (pode ver no vídeo disponível em baixo) e outro em que Adolfo sofre falta quando se isolava. Sobrava a dúvida se dentro ou fora da área mas o árbitro nada assinalou.
A segunda parte começou quase como a primeira, com um golo na sequência de um lançamento lateral, mas agora do Argozelo, por Cipriano. Os de Vimioso queixam-se de uma alegada mão de Yuran no lance, mas as imagens não permitem vislumbrar qualquer falta.
As contas complicavam-se para o Vimioso, que começava a ficar curto. Valentim ainda atirou uma bola ao poste e, dez minutos depois, Pedro Sousa falhou escandalosamente à boca da baliza, com Armando batido, após cruzamento de Tiago da direita.
O Vimioso tremeu mas não caiu e Luís Rodrigues inventou o 3-2 pouco depois. Ataca pela esquerda, finta Filipe na quina da área e remata cruzado sem hipóteses para Zé Luís.
A jogar com mais um elemento, António Forneiro preferiu jogar pelo seguro e fez entrar Nuno para ajudar a segurar o resultado. A partir daí não houve praticamente mais ocasiões, com o jogo a ficar muito mastigado a meio campo, com os de Vimioso já sem pernas para reagir.
No final, António Forneiro enalteceu a atitude dos seus jogadores mas lembrou que ainda há muito campeonato pela frente.
Já Fernando Teixeira, treinador do Vimioso, admitiu que a sua equipa não se conseguiu adaptar bem ao terreno de jogo e lamentou a "nomeação infeliz" de Ricardo Morais, a quem acusou de estar a arbitrar "condicionado" pelos acontecimentos do jogo com o Sendim, "onde houve expulsões e agressões. O campo ainda não foi castigado, os dirigentes ainda não foram castigados, há processos disciplinares a decorrer e ainda não se sabe o resultado dos mesmos. Estão à espera do quê? Do final da época para castigar as pessoas que maltratam o futebol distrital? Há muita gente que maltrata o futebol distrital. É preciso coragem para, de uma vez por todas, colocar as coisas em ordem", sublinhou Fernando Teixeira, frisando, no entanto, "que não está em causa a vitória da equipa da casa". Para além dos lances polémicos, Fernando Teixeira acusa o árbitro de não ter "um critério uniforme" com as faltas assinaladas.
Otávio Rodrigues, presidente do Vimioso, foi mais longe e acusa a Associação de Futebol de Bragança de falta de "bom senso" com esta nomeação.
“O árbitro ou quem dirige o árbitro ganhou o jogo. Assim que soube quem era o árbitro tive algum receio", admitiu.
 
Veja o resumo do encontro aqui.