Atual // Política

Bloco de Esquerda escolheu novos dirigentes no distrito de Bragança

Glória Lopes em Qua, 06/06/2018 - 18:24

O Bloco de Esquerda (BE) quer criar concelhias e núcleos no distrito de Bragança, bem como apoiar estruturas organizativas locais onde o partido tem menos implantação no que elas careçam para o seu desenvolvimento. Estas são duas das muitas propostas dos novos dirigentes regionais do BE que no passado fim de semana elegeram os novos dirigentes da Comissão Coordenadora Distrital de Bragança.
Jóni Ledo, deputado municipal em Vila Flor,  foi escolhido para  porta-voz para as questões distritais, Catarina Ferraz Assis, deputada Municipal em Bragança, será a porta-voz para as questões autárquicas  e os assuntos do concelho de Bragança ficam sob a responsabilidade de Gil Gonçalves.
A lista A promete ainda criar "grupos de trabalho temáticos, (Direitos dos animais, feminismo, agricultura, interior, ambiente, autarquias, direitos LGBT, trabalho, jovens e sede);  Estimular a articulação entre o nível territorial e o nível temático, como forma de conseguir novas abordagens políticas. O campo dos ativismos social é um campo de luta o Bloco, que deve aprender com eles e estimular a sua autonomia, sem nunca perder de vista as suas opções e autonomia ou ter pretensões de hegemonia".
Da Lista A fazem parte Jóni Ledo (Vila Flor), Marco Domingues Mendonça (Mirandela),  Catarina Ferraz Assis (Bragança), Sara Canteiro (Bragança), Gil Gonçalves (Bragança), Águeda Oliveira (Mirandela), Rogério Martins (Macedo de Cavaleiros), António Vara Freire (Vimioso) e Rita Oliveira ( Vila Flor).