Atual // Mirandela

CDS perdeu candidata à Junta de Mirandela

Fernando Pires em Qui, 01/06/2017 - 14:45

Fernanda Ferreira já não é a candidata apoiada pelo CDS/PP à junta de freguesia de Mirandela Concelhia diz ser o resultado de “divergências de organização estratégica”. Fernanda Ferreira fala em decisão unilateral e diz-se traída por Paula Lopes, candidata do CDS à câmara de Mirandela.
Durou apenas 91 dias, a candidatura de Fernanda Ferreira à junta de freguesia de Mirandela, pelo menos com o apoio do CDS/PP, que tinha sido anunciado à comunicação social, na sede do partido, na cidade do Tua, no passado dia 28 de Fevereiro.
A rutura aconteceu, na passada terça-feira, à noite, após uma reunião da concelhia.
A direção da concelhia do CDS/PP, de Mirandela, limitou-se a elaborar um curto comunicado que dá a conhecer a decisão de retirar o apoio a Fernanda Ferreira, referindo que existiam divergências “em questões de organização estratégica para o lançamento e desenvolvimento da campanha eleitoral”. Pelo que, adianta o comunicado, a então candidata à Junta de Freguesia de Mirandela e a Concelhia do CDS-PP, “acordaram optar por percursos independentes”.
Ora, a versão de Fernanda Ferreira, é diferente, começando por referir que não houve qualquer acordo entre as partes, mas antes uma decisão unilateral da concelhia. “Não fiz qualquer acordo com a concelhia, a não ser aceitar o desafio de ser candidata. Na base da discórdia na reunião, pareceu-me estar uma SMS enviada por mim a Paula Lopes” (candidata do CDS à câmara).
Apesar de não entrar em grandes pormenores, Fernanda Ferreira sempre vai dizendo que esta decisão está ligada a uma troca de SMS’s com Paula Lopes, a candidata do CDS à câmara de Mirandela, a quem acusa de a ter traído. “Na base da discórdia na reunião, pareceu-me estar uma SMS enviada por mim a Paula Lopes que dizia: esperei tudo desta candidatura, não esperava a sua traição, não me lembro de ter falhado a um pedido seu, comigo falhou no mais básico de tudo”, conta.
Fernanda Ferreira lança mesmo o desafio a Paula Lopes para tornar públicas todas as mensagens trocadas. A professora, atualmente, em mobilidade estatutária, na Agência Portuguesa do Ambiente, não esconde a sua indignação com o sucedido, mesmo assumindo que existiam algumas divergências políticas que ficaram bem patentes, há cerca de um ano e meio, quando disputou a concelhia com a atual líder e saiu derrotada, mas “não esperava este desfecho porque acreditava no projeto”.
Fernanda Ferreira, membro da Assembleia Municipal de Mirandela, eleita nos últimos dois atos eleitorais, nas listas do CDS, diz que ainda não sabe se avança como candidata independente. Vou analisar o que acabou de acontecer, mas confesso que já esperava isto, porque é prática comum no CDS”, conclui. Para já, está certo que Fernanda Ferreira já não será a candidata do CDS à junta de freguesia de Mirandela. A concelhia também não adianta se já tem algum substituto para liderar a lista à maior junta do concelho de Mirandela