Igreja // Alfândega da fé

Cerejais recebeu primeira relíquia de D. Frei Bartolomeu dos Mártires

Francisco Pinto em Qui, 29/05/2014 - 11:08

Milhares de peregrinos deslocaram-se ao Santuário Mariano dos Cerejais, em Alfândega da Fé, no passado domingo, para venerarem as relíquias do Beato Frei Bartolomeu dos Mártires que ali ficam sob custódia.
Segundo o bispo da diocese de Bragança-Miranda, D. José Cordeiro, seria importante criar um movimento em torno do Beato Frei Bartolomeu dos Mártires que foi arcebispo de Braga, arquidiocese que, à data, incluía o arciprestado de Torre e Moncorvo, no qual estava integrada a paróquia dos Cerejais.
D. José Cordeiro procedeu à entrega oficial ao Santuário dos Cerejais a custódia de uma das relíquias de D. Bartolomeu dos Mártires (uma vértebra).
Recorde-se que cada uma das quatro dioceses onde ele foi bispo recebeu uma ou mais relíquias do seu corpo.
Agora, os bispos portugueses têm em mãos um processo que será levado ao Papa Francisco no sentido de que Frei Bartolomeu dos Mártires seja declarado Santo e Doutor da Igreja.
 “O Santuário dos Cerejais ficará com a relíquia referência para a diocese nordestina. A vértebra do Beato está a indicar-nos o sentido da verticalidade na sua relação com Deus e com os outros, sendo uma pessoa responsável que responde pelas razões da sua esperança”, frisou D. José Cordeiro.
Frei Bartolomeu dos Mártires teve participação “notável” no Concílio de Trento, tendo participado nas reuniões de 1562-1563, onde apresentou 268 petições, sendo por este e outros motivos “uma figura grande da Igreja”. Foi bispo em Braga, que compreendia paróquias das atuais dioceses de Viana do Castelo, Vila Real e Bragança-Miranda.
O pastor da igreja nordestina destaca ainda outras obras do Beato, como a criação do primeiro Seminário do mundo (Seminário Conciliar de Braga) ou o livro “Estímulo dos Pastores” que, na opinião dos estudiosos, continua atual.

(artigo completo para assinantes ou na edição impressa)

Tags: