Atual // Vimioso

“É fundamental a continuidade do IC5”

AGR/FP em Seg, 02/09/2013 - 12:40

José Rodrigues está a terminar o terceiro mandato à frente da autarquia de Vimioso mas as Termas da Terronha são uma marca indelével da sua passagem pelo comando dos destinos deste município do Planalto Mirandês.

Mensageiro de Bragança: Qual a importância deste investimento para o concelho de Vimioso?
 
José Rodrigues: Este balneário termal reveste-se de grande importância porque, em primeiro lugar, é um exemplo de que podemos e devemos explorar os recursos que temos no nosso concelho, neste caso a água sulfurosa. Em segundo lugar, porque cria postos de trabalho diretos e indiretos, designadamente de jovens. Finalmente, as Termas de Vimioso assumem-se como um referencial turístico no concelho e no distrito.
 
MB.: Quantos visitantes esperam atrair?
JR.: Neste momento, não é fácil estar a apontar qualquer número.
Está a decorrer o estudo médico-hidrológico e é no sucesso deste estudo que estamos concentrados. No final do estudo, e estando nós muito focados no bom funcionamento do balneário, não tenho dúvidas de que será um pólo de atração turística do concelho e, dessa forma, trazer termalistas que, no fundo, são turistas que quererão e esperam por outras ofertas que o concelho tenha a e tem para oferecer.
 
MB.: O concelho tem capacidade hoteleira para o previsível aumento de procura?
JR.: Felizmente que, nos últimos anos e é para mim um motivo de grande satisfação, a oferta hoteleira no concelho cresceu e, mais importante, cresceu com qualidade.
Estou convencido que, a curto prazo, poderá ter de crescer mais, seja a nível de hotéis, seja no turismo rural.
Digo isto porque as Termas, o Parque Ambiental, para o qual já temos financiamento para a conclusão das obras, que vêm juntar-se ao nosso riquíssimo património arquitetónico e natural (paisagem), bem como à excelente gastronomia e produtos locais, vão exigir mais oferta hoteleira.
 
MB.: Com as novas acessibilidades no Nordeste Transmontano, têm notado o aumento de visitantes?
JR.: O IC5 e a A4, infelizmente não passam no nosso concelho. Considero uma injustiça, diria mesmo uma vergonha, sermos o município que não é contemplado por nenhum destes 2 eixos estruturantes. De qualquer das formas, acredito que estas duas novas vias, ao permitir uma chegada mais rápida de quem vem de fora, contribuiria para o aumento de visitantes no concelho, como se verificou neste Verão.

MB.: O que ainda faz falta na região para poder atrair mais turismo?
JR.: Para Vimioso, é fundamental a continuidade do IC5 de Miranda do Douro para o nosso concelho e a ligação à Autoestrada Transmontana. Aí Vimioso ganhará centralidade no Planalto Mirandês e estará mais próximo dos grandes centros. Depois, penso que estão reunidas as condições com o trabalho destes 12 anos, para se poder começar a fazer uma promoção do concelho no exterior. Obviamente que a Câmara Municipal tem aqui um papel fundamental, mas é também uma tarefa dos privados que aqui estão e outros que aqui se queiram fixar. Tudo isso implica mais trabalho em conjunto de todos os parceiros turísticos e, acima de tudo, oferta de qualidade e inovação nos produtos e nos serviços que temos para oferecer a quem nos visita.

Tags: