Cultura // Bragança

Entre copos no Praça 16 todos podem dizer poesia, serem DJs ou analisar a realidade

Glória Lopes em Qui, 10/11/2016 - 10:07

Ali à Praça da Sé, no seio do centro de Bragança, o Praça 16 é o bar que não é um simples tasco, nem serve só copos. Numas noites é um lugar da poesia, noutras uma mesa redonda de debate, onde se espicaçam os presentes a falar e comentar os temas escolhidos, seja o envelhecimento ou a agricultura, turismo ou o espaço público. “São conversas de café e não conferências. Algo produtivo mas descontraído. As pessoas podem participar de forma aberta, sem complexos e de forma descomprometida”, esclarece a gerência.
Outras noites é um palco para artistas. Todos estão convidados a pôr a mãos nos discos e subir à cabine e a fazerem-se DJ.
Quem entra é surpreendido por uma decoração diferente das dos outros estabelecimentos, já que nesta sala de visitas da Praça da Sé reina o vintage e nem o célebre e kitch ‘menino das lágrimas’ lá falta. Depois há livros em cima de mesas, candeeiros e recantos discretos. 
O bar parece predisposto a ser um lugar de afetos, de troca de opiniões e conversas. Um lugar de encontros.