Cultura // Mirandela

Ministério da Educação garante financiamento para manter projeto da Orquestra Energia

Fernando Pires em Qui, 23/08/2018 - 16:24

Está garantida a continuidade da Orquestra Energia que envolve mais de 150 alunos dos agrupamentos de escolas de Mirandela, Murça e Amarante.

Este projeto de integração social, criado há cerca de uma década, estava em risco de acabar, devido ao corte do financiamento por parte da Fundação EDP, mas o Ministério da educação já garantiu que vai suportar as despesas inerentes à colocação de oito professores de instrumentos, o que viabiliza a continuidade da orquestra Energia.

No final de 2009, a Fundação EDP assinou um protocolo que envolveu as escolas de música das regiões de Fridão e Tua, reconhecidas pelo Ministério da Educação, para a implementação da orquestra, na altura denominada de Geração, nas regiões onde a EDP construiu novas barragens. Amarante foi a primeira cidade do Norte a receber a Orquestra, seguiu-se Mirandela e posteriormente Murça.

O projeto promove a integração social das crianças e jovens, oriundos de contextos sociais e económicos vulneráveis, dando-lhe acesso a formação musical, incentivando o sucesso académico, combatendo o abandono escolar e contribuindo para a construção dos seus projetos de vida.
“Trata-se de um projeto de inclusão social que inclui muitas crianças e jovens, dos 6 aos 16 anos, sinalizados pelas CPCJ’s e redes socias das três câmaras envolvidas e que abre novos horizontes culturais e artísticos”, explica Alexandre Pacheco, diretor do agrupamento de escolas de Murça e coordenador local da orquestra Energia.

Desde o seu arranque que o projeto contou com financiamento da Fundação EDP e o apoio do Ministério da Educação, da Casa da Música e câmaras municipais dos três concelhos abrangidos.
Só que, este ano, a Fundação EDP avisou que iria deixar de financiar o projeto, colocando em causa a sua continuidade.

 

Tags: