Atual // Torre de Moncorvo

Nuno Gonçalves acredita que se passou "para a fase de execução” do projeto mineiro

FP em Sex, 20/11/2015 - 16:15

O presidente da câmara de Torre de Moncorvo considera que a decisão do ministério do Ambiente em dar parecer “favorável condicionado” à proposta de EIA é o princípio para retomar a exploração mineira no concelho.

Nuno Gonçalves, o autarca social-democrata, disse que sem haver este despacho do ministério do Ambiente a concordar com concessão para a exploração de ferro em Torre de Moncorvo, não se poderia ir “mais além” em todo o processo de exploração mineira.

“Esta é uma fase determinante para exploração de minério de ferro. A partir deste momento, passámos para o patamar da execução do projeto e apenas estamos dependentes da vontade do promotor [ MIT-Ferro de Moncorvo, S.A.], e essa vontade tem sido ‘férrea’”, acrescentou.

Este projeto conseguiu demonstrar ao Instituto de Conservação da Natureza e Florestas de que “a exploração de minério de ferro em Tore de Moncorvo é compatível com as boas práticas ambientais”.

Tudo isto porque, há cerca de um ano, o autarca de Torre de Moncorvo entrou em rota de colisão com o Instituto de Conservação das Natureza e Florestas (ICNF) devido a uma colónia de morcegos que habitava na região da exploração.

O autarca acusou o ICNF de dar “mais importância aos morcegos do que propriamente aos postos de trabalho que podem vir a ser criados com o projeto mineiro de Torre de Moncorvo”.