Atual // Carrazeda de Ansiães

Padre bombeiro ajudou no combate

AGR em Qui, 27/07/2017 - 10:23

Humberto Coelho foi um dos bombeiros que deitou mãos à obra no combate a este incêndio. Não o jogador de futebol mas o pároco daquela Unidade Pastoral e capelão dos bombeiros de Carrazeda. 

Sempre gostei de quem faz bem aos outros. E via os bombeiros “soldados da paz” como parte dessas pessoas. Desde criança. Com o convite e nomeação para capelão, decidi que não queria ser só mais um título e que devia ir para onde os bombeiros fossem. Por isso, comecei a acompanhá-los. Depois fiz o curso de bombeiro e seguiram-se  várias formações, sobretudo na emergência médica. A última que fiz foi sobre acidentes de trator”, conta o sacerdote ao Mensageiro. Neste incêndio, andou no combate das 17h00 às 4h00. “Foi uma situação muito complicada. Propagação rápida, habitações em risco”, recorda o Pe. Humberto, bombeiro há dois anos.
Apesar de “sair poucas vezes”, e nunca para fora do concelho, faz “os turnos da noite”. “Infelizmente, este não foi o pior incêndio que já combati. No ano passado tive um pior”, recorda.