Atual // Bragança

PSD recusa apoiar José Pires nas próximas autárquicas

António G. Rodrigues em Sex, 06/01/2017 - 16:29

José Pires não será candidato do PSD à União das Freguesias de Sé, Santa Maria e Meixedo. O atual presidente, eleito há quatro anos na lista dos sociais-democratas, já foi informado pela concelhia de que não conta com o apoio do partido e que tem liberdade para decidir o seu futuro a partir de agora.
No entanto, e tal como garantiu em entrevista ao Mensageiro em setembro, José Pires será candidato a um segundo mandato, possivelmente com uma lista independente.
Para já, ainda não foi possível chegar à fala com o Presidente da Concelhia, Luís Afonso. Da parte de José Pires, o atual presidente da União de Freguesias aguarda uma resposta por escrito com as razões invocadas pelo PSD para não apoiarem aquele que venceu as últimas eleições. Ao que foi possível apurar, a alegada falta de popularidade e de solidariedade institucional com a autarquia foram as principais razões apontadas, sendo que o distanciamento entre José Pires e Hernâni Dias sempre foi público e notório.
Entre as hostes do PSD, e mal foi conhecida a decisão da concelhia, transmitida numa reunião na passada quarta-feira pelo próprio presidente daquela estrutura, Luís Afonso, começam já a perfilar-se alguns nomes. Mas entre aqueles que têm vontade e os que efetivamente têm possibilidade de ser há uma grande distância. Telmo Afonso, que já garantiu estar fora da corrida em Espinhosela, freguesia à qual preside, é um dos nomes apontados por muitos. Por outro lado, é conhecida a preferência de Paulo Xavier, atual vice-presidente da Câmara, pela equipa de Vítor Barata que há quatro anos formou uma lista independente precisamente a esta União de Freguesias. Fernanda Silva foi mesmo eleita para o executivo atual, onde tem tido uma voz bastante crítica relativamente ao presidente José Pires.
Mas as últimas movimentações na reunião de apoios entre os sociais democratas apontam noutro sentido, na direção de Rui Correia, atual presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros de Bragança e diretor do Agrupamento de Escolas de Vinhais, concelho onde até já esteve para ser candidato à autarquia, pelo PSD. O facto de ter integrado a lista de Luís Martins à concelhia, que saiu derrotada pela de Luís Afonso, pode, no entanto, funcionar contra si.
O Mensageiro sabe que dentro do PSD há quem defendesse uma solução de peso, que poderia passar por Paulo Xavier. Mas o antigo presidente da junta de freguesia da Sé não se mostra disponível para trocar a vice-presidência da Câmara pela corrida à União de Freguesias.
Assim, pode estar aberta a porta a uma solução "fora do sistema".
No PS, a corrida deverá ser encabeçada por Luís Silvestre, presidente da Concelhia de Bragança, sendo que o Movimento Independente Sempre Presente, de Humberto Rocha, desta vez não deverá apresentar candidato.
(Mais informação na edição da próxima semana do Mensageiro de Bragança.)