Cultura // Bragança

Tiago Patrício falou da escrita com sotaque transmontano

Glória Lopes em Qui, 05/03/2015 - 10:09

O escritor Tiago Patrício, 36 anos, com origens familiares em Carviçais e Mós, concelho de Torre de Moncorvo, esteve em Bragança na passada quarta-feira, 25, onde participou em atividades em várias escolas e numa tertúlia na Biblioteca Municipal, em que falou do seu livro “Mil Novecentos e Setenta e Cinco”.  Trata-se de uma narrativa em que a partir de uma aldeia transmontana se observa a Revolução de 25 de abril de 1974 e o que se seguiu. “É uma efabulação sobre o que foi período revolucionário, a nível nacional, mas encenado numa pequena aldeia. Como é que os conflitos nacionais se podiam traduzir para um conjunto de personagens de uma aldeia transmontana”, explicou o autor ao Mensageiro.
Tiago Patrício viveu em Carviçais e Mós até aos 19 anos, pelo que a memória destas aldeias está bem patente na sua vida e na sua escrita. “Baseei-me na memória dos meus tios e dos meus avós durante esse período”, descreveu.