A opinião de ...

“Em Maio, iguala o pão com o mato, a noite com o dia, o Sol com a Lua e o Manel com a Maria”

Desde que chegou, que a primavera se tem pautado pela variabilidade. Temos assistido a períodos de instabilidade, com precipitação abundante, intercalados por períodos de temperaturas bem acima da média com muito sol, como foi o caso dos últimos dias. Contudo, hoje já sentiremos uma mudança de tempo, chega uma nova massa de ar que fará descer significativamente as temperaturas, tanto máximas como mínimas e provavelmente teremos o regresso dos aguaceiros e trovoadas à região nos próximos dias.
Se até ontem estávamos sob a influência de uma massa de ar subtropical, muito quente e muito seca, que fez com que os termómetros disparassem para valores bem acima do que costumam registar nesta época do ano, a partir de hoje essa massa de ar será substituída por uma nova, com características distintas. Trata-se de ar marítimo e húmido, que chegará à região graças ao enfraquecimento do anticiclone que se encontrava centrado entre as Ilhas Britânicas e os Países Baixos, e pela mão de uma vasta área de baixas pressões em formação no Golfo da Biscaia, que afetará boa parte da Europa Ocidental.
Significa isto que, veremos como com o passar das horas, a atmosfera se irá tornando mais instável e como as temperaturas irão descendo, teremos mesmo sensação de frio, graças à intensificação do vento de quadrante oeste, a descida das temperaturas será espetacular, e em pouco mais de 48 horas cairão entre 10 a 15ºC em alguns pontos.
Mirandela que ontem registou uma máxima em torno a 33ºC amanhã não irá além dos 19ºC, Miranda do Douro descerá no mesmo período dos 29ºC para os 15ºC, e em Bragança os termómetros tombarão dos 27ºC aos 14ºC. As mínimas também irão cair para valores frios, entre domingo e segunda-feira poderão atingir pontualmente valores na ordem dos 3 / 4ºC em Bragança, 3 / 5ºC em Macedo de Cavaleiros, 5 / 6ºC em Mirandela. Tranquilizem-se os agricultores, não se prevê formação de geada.
No que respeita à precipitação, é provável que se registe, assim como algumas trovoadas, irregularmente repartidas pela região. O modelo europeu ECMWF coloca acumulação interessante de chuva nos próximos dias, e a confirmar-se, poderá ser uma ajuda significativa para conter durante mais algumas semanas o agravamento da seca, que será uma realidade nos meses de verão.
No longo prazo a tendência é de continuação de tempo variável com temperaturas amenas ou mesmo abaixo da média para a segunda quinzena de maio, pelo menos até dia 27 não se vê a chegada de calor significativo à região, trata-se obviamente de uma previsão a prazo que terá de ser confirmada e acompanhada nos próximos dias
Poderão acompanhar diariamente as atualizações de toda a informação na página de Facebook e Twitter do Meteo Trás-os-Montes.

Edição
3730