Nuno Pires

Assessor principal de reeducação
anunopires@hotmail.com

Os grelos e os azedos

Embora já quase a terminar, estamos, ainda, na época das nabiças, dos nabos e, consequentemente, dos grelos. Daqueles que se cultivam, naturalmente, nos terrenos agrícolas. Apesar de, atualmente, a envolvência seja algo diferente, há uns anos atrás, os nabais emergiam por uma extensa área produtiva, porquanto, no meio rural, constituíam importante fonte subsistência alimentar, quer humana, quer dos animais domésticos, estes, elementos vivos determinantes na sustentabilidade da economia familiar.


Desafios

É comum dizer-se e ouvir-se, que vida é um desenrolar de surpresas. Positivas, negativas, ou nem por isso. Porém, essa avaliação decorre, em parte, dos nossos valores, das nossas convicções de vida, da sustentabilidade formativa, das variáveis informativas e, sobretudo, das expetativas. Tudo o que nos surpreende, de uma maneira ou outra, “mexe” connosco, potenciando, com maior ou menor intensidade, reações em conformidade.