Nordeste Transmontano

Estudantes estrangeiros valem mais de 12 milhões para a economia do distrito

Publicado por AGR em Qui, 2018-01-18 10:21

Os estudantes estrangeiros têm um peso cada vez maior na economia do Nordeste Transmontano, sobretudo dos concelhos de Bragança e Mirandela. Se, até aqui, esta era uma perceção, a partir de agora os dados comprovam-no. Joana Fernandes, docente na Escola Superior de Administração, Comunicação e Turismo, de Mirandela, do IPB, está a realizar um estudo sobre esse impacto e concluiu que já é superior a 12 milhões de euros.

“Este estudo pretendeu determinar os impactos socioeconómicos dos estudantes internacionais e na vertente dos impactos económicos de curto prazo, numa abordagem pelo lado da procura, facilmente se estimou um impacto superior a doze milhões de euros”, explicou ao Mensageiro. A restante equipa que participa neste estudo é composta por Elsa Esteves e Salete Esteves.

De acordo com as investigadoras, “cada estudante internacional durante a sua estadia gasta em média 448 euros mensais”.

Mas há diferenças de gastos de acordo com a nacionalidade mas, sobretudo, de acordo com o protocolo de mobilidade: “Os estudantes Erasmus+ gastam 692 euros por mês, os estudantes International CreditMobility (ICM) 1.058 euros por mês, Mobilidade Internacional com 354 euros por mês, Dupla Diplomação com 317 euros por mês, os Prospective Students com 612,9 euros, e, finalmente, os estudantes não inseridos em programas internacionais ou provenientes de outros protocolos gastam 434 e 602 euros mensais, respetivamente”, explica Joana Fernandes.
Nos inquéritos efetuados, verificou-se que “as três principais categorias de gastos são o alojamento (145,7 euros), alimentação (119,0 euros) e bens pessoais (71,5 euros)”.

Para já, o que se pode inferir é que “há um impacto relevante para a região, concretamente o impacto dos estudantes internacionais durante a sua estadia em 2016/2017 ascende a 12,3 milhões de euros”, explica.
Mas este número tende a crescer, tal como tem crescido o número de alunos estrangeiros a chegar ao Nordeste Transmontano.

Até dezembro, estavam contabilizados 1987 alunos internacionais no IPB, representando cerca de 26 por cento da comunidade escolar.

E são mais 336 do que no ano letivo passado, segundo os dados do Gabinete de Relações Internacionais do IPB, para onde são encaminhados a maioria dos casos.
 
(Artigo completo disponível para assinantes ou na versão impressa)