Natal criativo e sustentável

Natal pode ser um pretexto para o exercício de contenção num ano especialmente difícil, a pensar que os próximos poderão continuar a ser complexos para muitas famílias, ao nível social e económico.
Natal é o momento para rever algumas tradições e hábitos enraizados de pendor mais consumista e de procurar alternativas consonantes com uma sociedade mais sustentável e solidária.
Gaste menos e ofereça mais: Estabeleça o sistema de “amigo secreto” no seio da família ou ofereça um presente para toda a família e que todos possam partilhar (um filme “familiar”, um jogo coletivo para os mais novos) ou, consoante o orçamento familiar, fixe o número de prendas e o montante para cada uma.
Faça você mesmo: tem um valor incalculável independentemente do engenho de cada um: faça compotas, biscoitos, bordados, crochets, enfeites de Natal e outras habilidades. Crie um cartão personalizado e faça um embrulho original aproveitando materiais de casa.
Para um Natal mais sustentável, reutilize e recicle os resíduos!
O princípio da reutilização dos objetos, questionando se podem servir para outros fins ou guardados para o ano seguinte, evita o desperdício, mas também é um travão ao gasto do orçamento familiar.
O princípio da reciclagem é especialmente importante nesta altura do ano tendo em conta o aumento da produção de resíduos. Quase tudo o que compramos vem acondicionado em embalagens, que, muitas vezes, pecam pelo excesso de material e de embalagem, sem uma adaptação ao volume dos bens que empacotam. Caso não consiga evitá-los, espalme as embalagens de plástico e de catão até ficarem com o menor volume possível.
Seja solidário: há inúmeras instituições de solidariedade social que precisam do apoio de todos. Faça um donativo no seu IRS, seja voluntariado e ofereça atenção e carinho a quem precisa e recolha os brinquedos e roupas que não já não se usam em casa para outros que precisam.
E passe um Natal Feliz, são os votos da DECO!

Para qualquer esclarecimento adicional, por favor dirija-se à DECO ou ao Gabinete de Apoio ao Consumidor da autarquia do seu concelho de residência (Alfândega da Fé, Carrazeda de Ansiães, Macedo de Cavaleiros, Mirandela ou Vila Flor). Estas autarquias têm um protocolo de colaboração com a DECO, Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor.