A opinião de ...

Dezembro com Junho ao desafio, traz Janeiro frio

Tal como anunciei na última edição de 2018, os protagonistas do final do ano foram o anticiclone e o nevoeiro. Anticiclone que se fez persistente e o nevoeiro que se manteve dias a fio em muitos locais, mantendo aí as temperaturas baixas, enquanto na restante região se mantiveram muito altas para a época, em especial as máximas.
Ano novo, nova tendência? Nem por isso!
Os modelos meteorológicos continuam a simular a persistência das altas pressões, ou seja, um bloqueio duradouro, garantindo um já longo período de tempo com ausência de precipitação. As notícias não podiam ser piores, uma vez que o que já choveu não resolveu o problema de escassez de água nos solos e não será de estranhar, se esta situação se mantiver, que se volte a falar em seca nos relatórios mensais do IPMA de dezembro e janeiro.
O novo ano arrancou com uma ligeira descida das temperaturas e prevê-se que continue assim nos próximos dias, que as mesmas, em especial as mínimas, possam descer mais para valores até um pouco abaixo da média. E porque vão continuar a estar reunidas condições para formação de nevoeiros, aliados às temperaturas negativas, podemos vir a assistir à formação de sincelo em alguns pontos da região, em especial nos vales da Vilariça, Douro, Tua, Sabor, Rabaçal, Tuela ou Mente, planalto Mirandês, entre outros. As geadas vão aparecer em toda a região e as mínimas podem chegar aos -5ºC em Carrazeda de Ansiães, -4ºC em Bragança e Vimioso e -3ºC em Macedo de Cavaleiros e Mirandela.
As temperaturas máximas tendem a descer gradualmente durante os próximos dias, podendo durante o fim-de-semana estar abaixo dos 10ºC. Mais uma vez vamos assistir a fortes inversões térmicas. Fará mais frio, mesmo durante o dia, em zonas de vale, do que em zonas de altitude média.
Estamos em pleno processo de aquecimento súbito da estratosfera e o vórtice polar vai quebrar-se. Em situações semelhantes, tivemos os maiores nevões dos últimos anos a cotas baixas em toda a região transmontana, como em fevereiro do ano passado, e com registo de chuva gelada em muitos pontos do Douro, um fenómeno pouco habitual em Portugal. Espero trazer novidades na próxima semana.
Podem acompanhar diariamente as atualizações de toda a informação na página de Facebook do Meteo Trás-os-Montes.
Resta-me desejar um excelente 2019 a todos os leitores do Mensageiro de Bragança, que seja um ano recheado de interesse meteorológico e que a região se pinte de branco em breve!

Edição
3711