As novas tecnologias e a evangelização

Muita gente, quando olha para a instituição Igreja, ainda tem medo de apanhar alguma alergia ao pó e ao bafio.
Mas a Igreja não seria a instituição secular que é se ao longo da História da Humanidade não se tivesse sabido adaptar aos novos tempos, constantemente, reinventando não a sua mensagem mas a forma de a transmitir.
É certo que nunca como neste tempo que é o nosso o mundo acelerou tão depressa.
Não adianta ser detentor da maior das verdades e da mais bela das Palavras se a guardarmos só para nós.
Por isso, espalhar a Palavra de Deus e os ensinamentos de Cristo a uma geração que cada vez mais comunica com os dedos é um desafio cada vez maior.
O próprio Papa Francisco, tal como Bento XVI o fizera anteriormente, já em 2013 desafiava  os católicos a usarem a internet para “dar esperança cristã”.
Este ano, num artigo publicado pela Agência Ecclesia, o investigador Fernando Cassola, do Centro de Sistemas de Informação e Computação Gráfica, concluía que “se os meios de comunicação social em geral e neste âmbito as novas tecnologias forem usados pelos crentes com a força da fé à luz do Espírito Santo, podem contribuir para facilitar a difusão do Evangelho e aumentar os vínculos de comunhão entre as diferentes comunidades”. Por outro lado, diz o investigador que “os meios de comunicação implicam mudanças. É natural que todos estes meios que vão surgindo a um ritmo elevado exijam de todo o Povo de Deus em geral e dos agentes pastorais mais implicados um forte empenho pessoal e uma canalização de energias para facilitar e objetivar uma real presença da Igreja na sociedade em rede, tanto ao nível dos conteúdos como da própria formação que é exigida aos responsáveis.”
Foi com o propósito de conseguir chegar ao maior número de pessoas que o Mensageiro de Bragança procurou, no passado fim de semana, dar mais um pequeno passo no sentido de utilizar as novas tecnologias para dar a conhecer a Boa Nova criando, antes de mais, laços de fraternidade e proximidade, ao transmitir, pela primeira vez, em direto nas redes sociais, um jogo do Campeonato Distrital de Bragança.
Uma transmissão que atingiu, sobretudo, emigrantes. Um pequeno passo, que será seguido de outros, na partilha da Fé, no sentido de prosseguir a missão que nos foi confiada e que está plasmada no Estatuto Editorial que nos rege. Porque queremos chegar cada vez a mais pessoas e as novas tecnologias são uma forma de o fazer e porque não queremos guardar só para nós a Mensagem da Esperança...
 
www.facebook.com/Jornaldiocesano