Taça Distrital AFB

Vilariça surpreende e está nas meias. Sendim vence em jogo emotivo

Publicado por DV em Qui, 2017-01-26 16:47

O Vilariça conseguiu em Miranda a primeira vitória da temporada (1-3) e segue para as meias-finais.
Argozelo, Vinhais e Sendim garantiram o seu lugar, estes últimos depois de um jogo polémico em Rebordelo.
 
O Vilariça, último classificado do campeonato, venceu fora o Mirandês por 3-1, garantindo o seu lugar nas meias-finais da taça, onde irá defrontar o Argozelo.
Quatro meses, nove jogos, 37 golos sofridos (que contrastam com apenas um marcado, no último jogo do campeonato) depois, a equipa de José Barreira venceu. Um resultado inédito esta época, que, segundo o treinador, “não surpreende pelo resultado, mas sim pela atitude dos jogadores”. “Foram verdadeiros profissionais. Um jogo sério e digno a todos os níveis. Mudamos o sistema, porque não tínhamos nada a perder, e jogamos com dois pontas-de-lança e resultou”, revelou o técnico, que assumiu que a vontade “é manter este bom momento e subir no campeonato”.
O adversário das meias-finais será o Argozelo. Os Mineiros perderam por 2-1, frente ao Vimioso, mas beneficiaram do triunfo alcançado na primeira mão (4-1). O Vinhais perdeu com o Vila Flor (2-0), mas mesmo assim passou às meias-finais, depois do resultado favorável do jogo anterior (4-1), onde vai encontra o Sendim.
 
Sendim segue em frente Rebordelo reclama
O Sendim garantiu um lugar nas meias-finais, depois de vencer o Rebordelo (1-2) num jogo polémico, marcado por três expulsões e que mereceu muita contestação por parte da equipa do Rebordelo, que enviou à comunicação social uma nota de protesto onde descreve que “o Sr. Arbitro levava a lição bem estudada e realizou uma arbitragem inteligente quando soube dar a “machadada” na altura certa (expulsão de guarda redes e marcação de penalti quando foi o jogador adversário que originou o contacto e foi contra o guarda redes já dentro da pequena área, bem como cartões amarelos cirúrgicos para condicionar a equipa) deixando a equipa reduzida a 9 elementos, a perder dois a zero, quando a equipa adversaria nem um remate tinha feito ao longo de 70 minutos. Como se diz por estas bandas “ganhou bem a jeira” conseguindo desvirtuar a verdade desportiva deste jogo”. A equipa de arbitragem neste encontro foi chefiada por João Sousa, que expulsou o guarda-redes Ricardo e o médio Trigo. Beto, do Sendim, também foi expulso. Nuno Loureiro, técnico do Rebordelo também foi expulso, e “não entende o porquê”. “Perguntei ao fiscal de linha o porquê de não ter assinalado uma falta, sem exaltação, e ele decidiu expulsar-me. A partir dos 60 minutos cada falta do Rebordelo era amarelo e isso complicou as coisas”, disse. Eurico Martins, técnico do Sendim, considera que o jogo “foi tranquilo”. “O resultado e a justiça da nossa passagem não pode ser posta em causa. O penalti existe e as expulsões são, a meu ver, bem assinaladas, incluindo a do meu atleta”, afirma. António Ramos, presidente da AFB, assume uma posição “democrata”. “Vamos ouvir todas as opiniões. Todos têm direito a se pronunciar. Ainda não vi o relatório do árbitro. Ele será analisado e só depois a AFB tomará uma posição”, revela.