Atual // Carrazeda de Ansiães

Autarca lamenta atraso com um papel que custa milhões ao concelho

António G. Rodrigues em Qui, 01/09/2016 - 18:19

A Câmara Municipal de Carrazeda de Ansiães aguarda há três anos e meio pela aprovação, por parte do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas, da carta de riscos contra incêndios. Uma autorização que tem estado a emperrar o aparecimento de investimentos de milhões de euros no concelho.
O lamento foi apresentado, em privado, pelo presidente da Câmara ao secretário de Estado que, indignado com a demora, tratou de o tornar público.
“Temos o Plano Municipal de defesa contra incêndios, do qual faz parte a carta de risco de incêndios que, uma vez feita a revisão do PDM, foi alterada. A atual carta de risco de incêndios permite que haja investimentos em determinadas zonas do concelho que a anterior, ainda vigente, impede que sejam feitos. São investimentos de muito valor. Alguns querem candidatar-se ao Portugal 2020 e o aviso termina no final de setembro.
Não podemos permitir que um organismo emperre e não contribua para o desenvolvimento do nosso concelho”, frisou José Luís Correia.
“O que está em causa é o parecer do ICNF. Todos os autarcas têm uma conceção muito precisa da sua atuação. Mais do que eles, sabemos preservar a natureza e defender os ecossistemas. A primeira preocupação é a sobrevivência do homem e permitir que crie as oportunidades de negócio, riqueza e emprego”, sublinhou ainda.
O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, mostrou-se indignado com esta demora.
“Fiquei surpreendido com isto porque é para assustar toda a gente. Isto, na próxima semana, tem de ser resolvido. Não é postura deste Governo. Não aceitamos que, por questões burocráticas , se possa emperrar a vida das empresas.
Temos de desbloquear de imediato este processo para que as empresas possam ser financiadas”, disse Jorge Gomes, que enalteceu ainda as candidaturas a fundos comunitários que estão abertas e que podem vir a beneficiar a região.