Igreja // Entrevista Cardeal Monteiro de Castro

“D. José está a fazer um trabalho magnífico”

AGR em Sex, 13/09/2013 - 19:01

O Cardeal Monteiro de Castro é um dos portugueses mais conceituados no Vaticano. Nomeado Penitenciário-Mor em 2012 por Bento XVI, presidiu às celebrações religiosas de N. Sra. das Graças. E falou em exclusivo ao Mensageiro.

Mensageiro de Bragança: Como vê a sua presença na festa da cidade de Bragança?
Cardeal Monteiro de Castro: Vim aqui com muito gosto e alegria. Conheço Bragança, estive aqui para a ordenação do bispo D. José. Já o conheço de Roma e vi o trabalho magnífico que fez lá e aqui também o está a fazer.

MB.: Como está a ver o pontificado do Papa Francisco I?
CMC.: Acompanhei o Papa Paulo VI a Fátima. Depois trabalhei com pelo menos cinco Papas, todos eles diferentes uns dos outros, mas todos eles que deram à Igreja valor. E este Papa continua a linha dos outros Papas, mas com o seu modo de ser. Está a levar a palavra do Senhor a todo o mundo. Nunca teve tanta gente no Vaticano como agora. Estou lá e, realmente, está lá gente de todo o mundo, até da China, para ouvir a palavra do Papa. Francisco I tem uma forma de falar muito direta e isso é muito bom porque as pessoas acompanham-no. Eles dialoga com as pessoas.

MB.: Que diferenças encontra nos cinco Papas com quem trabalhou?
CMC.: Quando fui para Roma era Papa João XXIII, que fez um trabalho magnífico. Desde 1500 que não havia nenhum Concílio e ele pôs a Igreja a dar um salto muito, muito importante. Depois tivemos Paulo VI, que tinha trabalhado no Vaticano, era do corpo diplomático, como eu. Tinha dificuldade em falar português e escrevi-lhe uma vez o que ele deveria dizer em português mas escrevi o ‘ão’ com ‘an’. Chamaram-me a atenção porque não estava a escrever corretamente. Eu disse-lhes que era melhor assim, porque desta forma pronunciava bem o nome João, caso contrario iria pronunciar ‘Joao’ e ninguém o iria entender.

MB.: Participou no último Conclave, que escolheu este Papa. Como foi?
CMC.:Todas estas reuniões têm sido importantes para a Igreja. Cada um dá a sua opinião e vamos no bom caminho.

(Entrevista completa disponível para utilizadores registados)