Atual // Mirandela

Diabetes no centro do debate nas primeiras Jornadas de Medicina Geral e Familiar

Glória Lopes em Qui, 13/10/2016 - 11:46

A  elevada prevalência da diabetes na população do distrito de Bragança, região onde a taxa de incidência diagnosticada ronda os 10 por cento, quando a média nacional anda pelo 7,4 por cento, preocupa os médicos. Todavia, estima-se que estes, valores sejam mais elevados, uma vez que se presume que a prevalência da doença seja superior por existirem muitos casos não diagnosticados. No país prevê-se que a prevalência seja de 13 por cento.
A incidência da doença é um dos assuntos que estará em análise nas Primeiras Jornadas de Medicina Geral e Familiar do Nordeste Transmontano, que se realizam nos dias 24 e 25 de outubro, no Auditório Municipal de Mirandela. O tema das jornadas é, precisamente,  "Quando a Diabetes Complica". "Explica-se que existam mais diabéticos, porque a maior prevalência é da diabetes tipo 2, que atinge a população mais velha, e a nossa é muito envelhecida, mais as questões culturais inerentes à nossa região, como é o caso da gastronomia", explicou Ana Diegues, interna de quarto ano, e membro da comissão organizadora da iniciativa, na apresentação da iniciativa na passada quarta-feira, em Mirandela.
Nos centros de saúde aposta-se na prevenção da doença e fazem-se vários rastreios  à população. "São usadas escalas para determinar o risco de a pessoa vir a padecer desta doença. Somos proactivos na prevenção e detenção precoce da doença, até porque implica outras patologias associadas e envolve diversos órgãos do corpo humano", referiu Clara Jorge, interna do segundo de Medicina Geral de Familiar e membro da comissão organizadora. São ainda disponibilizadas outras consultas no âmbito da Unidade Local de Saúde do Nordeste como a Diabetologia, Podologia, Rastreio de Pé Diabético e Rastreio de Retinopatia Diabética.
O distrito está bem servido no que toca ao número de médicos de família nas cidades do Eixo da Auto-estrada Transmontana (A4), mas o mesmo não sucede na periferia, nomeadamente em concelhos como Alfândega da Fé, Miranda do Douro, Torre de Moncorvo ou Vinhais.
 
Jornadas para "formar"
 
As jornadas que contarão com a presença de diversos especialistas nas várias mesas redondas, que se realizam nos dois dias, tem "um objetivo formativo", deu conta Ana Diegues, para "alcançar algum impacto na população", acrescentou.
A comissão organizadora é composta por vários jovens médicos que pretendem ter uma atitude "proactiva" para ajudar os profissionais a adquirir mais conhecimentos ou a atualizá-los, pois muitas vezes para conseguirem mais formação são obrigados a deslocar-se às cidades do litoral. Além dos simpósios, as jornadas contam também com workshops e apresentação de trabalhos. Os lucros alcançados revertem para a Associação de Diabéticos do Distrito de Bragança. "Assim somos nós a chamar os colegas de fora até cá e a conhecer outras realidades e tentar atrair esses colegas", sublinhou Ana Diegues.
Por outro lado, os jovens médicos também pretendem desmistificar a ideia de que no interior não se faz investigação. "Assim, podemos criar a dinâmica de uma jornadas do Nordeste para continuarem no futuro", acrescentou Clara Jorge