Bragança

Impacto do avião acidentado no solo não deixava "probabilidade de sobrevivência"

Publicado por Glória Lopes em Qua, 2019-03-20 10:13

A aeronave ultraligeira que caiu no passado sábado em Bragança, provocando a morte dos dois pilotos que seguiam a bordo, sofreu uma falha estrutural catastrófica na raiz da asa direita", refere o relatório preliminar do Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e Acidentes Ferroviários ( GPIAAF), que publicou uma nota informativa na sua página na internet na passada terça-feira.
Revela o documento que após a aproximação à pista 20, e sem proceder à aterragem final, a aeronave continuou o seu voo que, segundo testemunhas, terá seguido para a zona Este da pista. "Na sequência de um conjunto de manobras ainda por determinar, a aeronave sofreu uma falha estrutural na raiz da asa direita levando a que esta seja projetada contra a canópia ( vidro do cockpit) e separando -se totalmente da aeronave", acrescenta a mesma nota do GPIAAF. "Com a aeronave fora do controlo e com elevada rotação pela direita, provocada pela sustentação da asa esquerda , a aeronave inicia uma trajetória em espiral descendente, imobilizando-se a 1,45 km da solteira da pista 20 aeródromo de Bragança", acrescentam.
Segundo o mesmo relatório "não foram encontrados quaisquer indícios de explosão ou incêndio no pré ou pós acidente" que foi classificado "como de impacto sem probabilidade de sobrevivência".