Cultura // Bragança

Obra de António Dacosta em retrospectiva no CAC

Glória Lopes em Qui, 12/02/2015 - 10:13

O Centro de Arte Contemporânea Graça Morais, em Bragança, recebe por estes dias a exposição António Dacosta (1914-2014), uma mostra que resulta da adaptação de uma outra organizada pelo Centro de Arte Moderna da Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa, comemorativa do centenário do artista, natural de Angra do Heroísmo.
Trata-se de uma exposição, inaugurada no passado dia 7, que acaba por ser uma retrospectiva da carreira do pintor, cuja obra andou sempre entre a  inquietação e o prazer, “num percurso que vem da convulsão surrealista à memória presença de uma ilha como centro do mundo”. Entre o surrealismo, a influência da arte metafísica de Chirico, e os caminhos da abstração numa segunda fase do seu percurso artístico, ou uma pintura mais informalista, onde Dacosta persegue o enigma da vida e da nossa condição, o erótico e a pulsão da morte, ou a “A antítese da calma”.