Atual // Torre de Moncorvo

Parque eólico é para avançar até ao mês de outubro

António G. Rodrigues em Sex, 08/05/2015 - 14:31

A construção do parque eólico de Torre de Moncorvo, na Lousa, está cada vez mais seguro, depois de a empresa que detém a concessão ter formalizado um pedido de 40 milhões de euros ao Banco Europeu de Investimento.
A convicção é do presidente da Câmara de Torre de Moncorvo, Nuno Gonçalves, que, juntamente com o seu homólogo de Carrazeda de Ansiães, e o deputado do PSD eleito pelo distrito, Adão Silva, têm acompanhado o desenrolar de todo o processo.
Nesta altura, o Estudo de Impacto Ambiental “está entregue”, revela o autarca moncorvense, que já em fevereiro tinha participado numa reunião com o secretário de Estado do Ambiente devido a algumas situações que tinham sido apontadas pela comissão de serviço que analisou o estudo.
A Island Renewable Energy, uma empresa irlandesa que adquiriu a concessão do parque, deverá responder até ao final desta semana.
“Havia três geradores que poderiam ter algum impacto na zona protegida do Alto Douro Vinhateiro, mas foram puxados um pouco mais para cima”, revelou Nuno Gonçalves.
Recorde-se que o parque eólico da Lousa  é tido como o maior empreendimento do concurso eólico que o Governo socialista de José Sócrates lançou, entre 2005 e 2008. “Corresponde à terceira fase deste concurso, a chamada Fase C, e implica uma licença para a instalação de 50 megawatts de potência”, explicou o autarca.
 
(Artigo completo disponível para assinantes ou na edição impressa)