Educação e Valores na Internet

A educação e a formação devem preparar os jovens para viver e intervir de forma ativa e esclarecida na sociedade. As escolas têm o compromisso social de promover valores éticos entre os seus alunos e entre eles e a sociedade, fazendo com que os alunos se preparem para ser cidadãos livres, democráticos, tolerantes e solidários.
Num mundo, interconectado com a Internet, em que diariamente assistimos a pessoas com grande responsabilidade a defenderem, simultaneamente, posições contraditórias e a utilizarem “pós-verdades” para atingir determinados objetivos, questiono-me se não é urgente repensar a educação em termos da importância que deve ser dada aos valores, nomeadamente, na relação com colegas, amigos e familiares.
É urgente ajudar a construir na sociedade um sentimento de repulsa e não aceitação da pós-verdade. Pós-verdade é algo que aparenta ser verdade, é mais importante que a própria verdade, (…) para alguns autores a pós-verdade é simplesmente mentira, fraude ou falsidades encobertas com o termo politicamente correto (https://pt.wikipedia.org/wiki/P%C3%B3s-verdade).
Embora não possa valer tudo para obter provas, também não é aceitável que os crimes ou as fraudes mereçam menos atenção, quando estão a ser julgados, do que o modo como foram conhecidos. Exemplos desta constatação não são difíceis de encontrar, basta ouvir, ou ler, os órgãos de comunicação social e facilmente se encontram exemplos para todos os gostos, com particular destaque para as áreas dos negócios, da política e do desporto. Enquanto na sociedade existirem pessoas ou organizações insuspeitas de cometerem crimes ou fraudes, mas se as cometem são condenados os que os denunciam, não haverá muito a fazer na promoção de valores e de justiça social.
É muito agradável constatar que a grande maioria dos jovens acredita que os valores estão presentes na sua vida, nomeadamente quando comunicam através da internet, com os colegas, com os amigos e com os familiares. Saliento como exemplo um estudo realizado em 2017 por um grupo de investigadores portugueses e espanhóis, que envolveu mais de 700 jovens do ensino superior. Com este estudo concluiu-se que a grande maioria dos jovens considera que a Internet promove frequentemente os valores: amizade, cooperação, criatividade, liberdade e solidariedade, mas raramente os valores honestidade e respeito, ao mesmo tempo que consideram que os valores referidos são frequentemente tidos em conta quando comunicam com os colegas, com os amigos e com os familiares, dando-lhe maior ênfase quando comunicam com os amigos e familiares.